Cidadeverde.com

Dilma desfila em carro aberto em Brasília

Após pouco mais de uma hora de desfile militar neste sábado (7), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, a presidente Dilma Rousseff encerrou às 10h18 a solenidade do Dia da Independência e entrou no carro oficial para retornar ao Palácio da Alvorada, residência oficial. Não houve registro de incidentes durante o evento.


Dilma autorizou às 9h15 a abertura oficial do desfile. Menos de oito horas antes, à 1h20, a presidente chegou de uma viagem de cinco dias à Rússia, onde participou do encontro de cúpula do G20, que reúne os países com as maiores economias do mundo. No pronunciamento oficial do 7 de Setembro, em cadeia de rádio e TV, ela pediu "humildade" ao governo e defendeu o direito de a população "se indignar".

A presidente embarcou às 8h56 no Rolls-Royce presidencial em direção à tribuna presidencial. No trajeto, que durou seis minutos, passou em revista as tropas. Ministros e autoridades a aguardaram no palanque oficial, onde se posicionou ao lado do vice-presidente Michel Temer e do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT) para a execução do Hino Nacional e do Hino da Independência. O tema do desfile é "Brasil de Alma e Coração".

Depois do hino, de um veículo militar, o comandante militar do Planalto solicitou a permissão para dar início à parada militar, autorizada pela presidente.

Na altura da Catedral de Brasília, um bloqueio de policiais submetia a revista todas as pessoas que iam para a área do desfile. O Batalhão de Choque Montado da Polícia Militar fez patrulhamento em todas as vias próximas à área do desfile.

Policiais militares fizeram um cordão de isolamento em frente ao espelho d'água do Congresso Nacional como prevenção contra eventuais protestos durante o desfile de 7 de Setembro.

Apesar das previsões, a festa na Esplanada ocorreu sem problemas.

Quando o desfile se aproximava do fim, manifestantes iniciaram a Marcha Contra a Corrupção. Eles deixaram área de concentração ao lado do Museu Nacional, na Esplanada dos Ministérios, e seguiram em direção ao Congresso Nacional.

Fonte: G1
Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais