Cidadeverde.com
Últimas

Polícia prende onze durante a Operação União; 2 são policiais

Imprimir
Atualizada às 9h31
A Polícia Civil divulgou videos da operação União, deflagrada na manhã desta quinta-feira (21) que já resultou na prisão de onze pessoas, dez por mandado e uma em flagrante. Veja:







Atualizada às 09h24 (horário local)
O corregedor adjunto da Polícia Militar, coronel Ricardo Lima, acaba de chegar à Greco para acompanhar a prisão de dois policiais militares na Operação União. De acordo com o coronel, eles irão responder a processo criminal cível e administrativo e terão direito a ampla defesa.

Evelin Santos/Cidadeverde.com

Caso seja comprovada a participação dos dois PMs com a quadrilha acusada de assaltos e arrombamentos em Teresina, eles serão expulsos da corporação. "Isso mancha qualquer instituição. Não podemos chamá-los ainda de acusados, pois eles estão presos temporariamente para investigação. Mas, caso sejam indiciados, os dois serão estirpados da corporação", disse o coronel.

O delegado que preside o Greco, Menandro Pedro, afirmou que toda a ação da quadrilha foi bem organizada nos dois estados (PI e PA) e que os envolvidos tinham um rádio que eles usavam para acompanhar a movimentação da polícia.

"Eles entravam em contato com pessoas de fora e vinham para cá e tinham toda a certeza de que a polícia não iria intervir nas suas ações. Eles usavam rádio e ficavam sabendo de toda a movimentação", explicou o delegado.

Atualizada às 8h55

O soldado Reginaldo Alencar, que trabalha na Cavalaria, foi preso e acabou de chegar ao Greco, juntamente com outro preso durante a operação. Já foram cumpridos dez mandados e uma prisão em flagrante.

Atualizada às 8h42

Durante a operação União, a polícia do Piauí está cumprindo 13 mandados de prisão e 10 de busca e apreensão. Até o momento, oito pessoas, entre piauienses e paraenses, foram presas. São eles:

Jairo, despachante, preso na zona norte; José Wellington, policial militar, preso na Casa de Custódia; Maria de Fátima, presa no Dirceu; Maria Naiara, presa no Parque Jacinta; Aluízio, preso no bairro Primavera; Bruno, responsável pelo aluguel de carros; e dois paraenses presos num condomínio fechado no bairro Porto Alegre. O avô de Aluízio foi preso durante a operação por porte ilegal de armas. Ele seria aposentado do Exército e tinha armas em casa.


A quadrilha é especializada em arrombamentos e foi responsável pelo assalto à Granja União, de onde foram levados R$ 3 milhões.


Foram apreendidos três veículos: Logan, L 200 e uma Meriva, além de uma quantia em dinheiro ainda não informada.


Segundo a polícia, a investigação durou cinco meses e iniciou após a prisão de um dos envolvidos no assalto à Granja no Pará.

Um dos policiais militares é soldado da Cavalaria e ainda não foi capturado.

Policiais concentrados antes da operação


Atualizada às 8h07

Os policiais da Greco estão dando cumprimento a 13 mandados de prisão temporária. Dois policiais militares são procurados, suspeitos de integrarem a quadrilha acusada de assaltos e arrombamentos em Teresina. Segundo o secretário de Segurança, Robert Rios, é o maior grupo especializado nesse tipo de crime na capital.

Um dos policiais militares é lotado na Companhia de Guarda e trabalha na Penitenciária Major César e o outro trabalha na Cavalaria. Seis armas já foram apreendidas.

Os presos estão sendo levados para a Greco. Uma delas, identificada apenas como Maria de Fátima, foi presa em uma casa no bairro São João, zona leste da capital. No local foi apreendido um carro de luxo avaliado em mais de R$ 100 mil.



O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) deflagrou na madrugada desta quinta (21) a Operação União para cumprirem 12 mandados de prisão temporária e 12 de busca e apreensão em Teresina. Segundo o secretário de Segurança, Robert Rios, é o "maior grupo criminoso" da capital.

A quadrilha, formada por cerca de 17 membros, é especializada em assaltos. Uma única ação rendeu R$ 3 milhões. Na semana passada, a quadrilha tentou assaltar uma loja do Comercial Carvalho, sob a escolta de dois policiais militares envolvidos com o grupo. O assalto acabou não se concretizando.

Os policiais da Greco estão na rua desde 2h30 para darem cumprimento aos mandados. Um policial militar foi preso enquanto estava de serviço na Penitenciária Major César.

"O objetivo é desarticular o maior grupo criminoso de Teresina. Dois PMs eram responsáveis pela logística e armas. O grupo era tão forte que mesmo depois desse assalto que rendeu R$ 3 milhões eles continuaram", disse o secretário Robert Rios.

Veja nota da Greco sobre a operação

"A POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PIAUÍ, através do GRUPO DE REPRESSÃO AO CRIME ORGANIZADO – GRECO e do NÚCLEO DE INTELIGÊNCIA – NI, deflagrou, às 06 (seis) horas de hoje (21.11.13), a OPERAÇÃO “UNIÃO”, com o objetivo de desarticular organização criminosa com atuação em Teresina-PI na prática de furtos de grandes quantias em dinheiro.

A operação “UNIÃO” é resultado de 5(cinco) meses de investigações do Grupo de Repressão ao Crime Organizado no sentido de desarticular organização criminosa responsável por furtos/roubos na cidade de Teresina-PI.

A organização criminosa é composta por criminosos do Estado do Pará e do Piauí, além de comprovadamente 02(dois) Policiais Militares do Estado do Piauí.Vale mencionar que o citado grupo criminoso é responsável pelo maior furto qualificado já realizado no Estado do Piauí, onde foi subtraído o valor de mais de R$3.000.000,00(três milhões de reais).

Diante das provas coletadas no curso do Inquérito Policial, foram solicitados pelo GRECO e deferidos pelo JUÍZ DA 7ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE TERESINA-PI, Dr. Almir Abib Tajra Filho, 12 (doze) mandados de prisão temporária e 12 (doze) mandados de busca e apreensão, cumpridos por aproximadamente 90 (noventa) policiais civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães de diversas unidades da POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PIAUÍ, além do apoio operacional da Polícia Militar.

Por fim, informo que será concedida entrevista coletiva, às 12h, a ser realizada na sede da ACADEPOL, com a presença do Delegado Geral e dos Delegados do GRECO responsáveis pelas investigações."

Flash de Rayldo Pereira
Leilane Nunes e Carlos Lustosa (da Redação)
Imprimir