Cidadeverde.com
Geral

Detentos da Major César sofrem ameaças de morte; 10 já fugiram

Imprimir
O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) confirmaram ao Cidadeverde.com que dois presos fugiram na manhã desta segunda-feira (20) da Penitenciária Agrícola Major César Oliveira, localizada na BR 343, entre os municípios de Teresina e Altos.


“Eles fugiram porque estavam sendo ameaçados de mortes. Na semana passada foram oito presos no total que conseguiram fugir. Houve até uma tentativa de homicídio no presídio quando cerca de 15 presos agrediram um detento”, informou o diretor Wellington Rodrigues.

Ainda de acordo com representante da categoria, os presos que trabalham na cozinha estão ameaçados de mortes após desentendimento com internos. “Alguns presos acham que por eles estarem na cozinha tem regalias e em troca disso passam informação para direção”, disse. 

Por volta das 7 horas da manhã desta segunda, os dois presos aproveitaram falha da segurança e pularam a cerca do presídio, que funciona em regime de colônia agrícola. Outra denúncia que o sindicato faz é que viraram comum as agressões a agente penitenciários na Major César. 

“Já pedimos providências concretas da Secretaria Estadual de Justiça devido às ameaças de agressões e violência contra agentes. O último caso aconteceu há 30 dias quando um agente foi agredido e ferido”, explica o diretor do Sinpoljuspi.

Atualmente, cerca de 250 presos cumprem pena na Major César. O Sinpoljuspi alega que as fugas constantes ocorrem devido a falta de estrutura de segurança do presídio. “Há um problema porque a vigilância externa está precária e os presos estão tendo facilidade”, critica.

A direção do Sinpoljuspi pede, ainda, providência do setor de inteligência da Secretaria de Justiça e ressalta que denúncias feitas nesta segunda-feira pela OAB após visita a Casa de Custódia já haviam sido externadas em relatório feito pelo sindicato.

Ainda segundo Wellington Rodrigues, autoridades da administração pública já recebem os documentos e são cientes dos problemas existentes no sistema prisional do Piauí.

Resposta da Major Cézar
O Cidadeverde.com entrou em contato com a direção da Colônia Agrícola para que as denúncias fossem esclarecidas. De acordo com o capitão Paulo Oliveria, diretor do presídio, ameaças dentro de presídios é algo que “sempre existiu”.

“Sempre existem as rixas pessoais entre os detentos e é claro que, por exemplo, não se pode mistura presos por estupro com outros porque eles fatidicamente vão ser alvos de violência. Sobre a denúncia de que os presos que trabalham na cozinha são favorecidos: isso não procede”, avalia o gestor. 

O diretor esclareceu ainda sobre a questão da falta de segurança dita pelo Sindicato. “Nossa situação já fez foi melhorar. Antes, tínhamos apenas três policiais militares fazendo a vigilância externa. Hoje são seis. Mas isso acontece devido a falta de efetivo da própria Polícia. Estamos tentando resolver isso solicitando mais homens para a vigilância”, explica Paulo Oliveira.

Flash de Yala Sena
Redação de Lívio Galeno
Imprimir