Cidadeverde.com
Geral

Com doentes e baleados, Central tem 70 presos onde cabem 12

Imprimir
A Central de Flagrantes de Teresina (PI) chegou nesta segunda-feira (28) ao recorde em sua lotação. Setenta detentos são divididos em três celas quando a capacidade para todas juntas seriam de apenas 12. 

Fotos: Cida Cardoso/Cidadeverde.com

De acordo com o coordenador da Central de Flagrantes, delegado Josimar Brito, o temor é a chegada de mais presos. "Temos aqui pessoas com mandado de prisão de Presidente Dutra (MA), do Ceará, Valença (PI), entre outros. Hoje estamos com 70. Teremos um feriado nesta semana. Imagine com quantos não ficarei após esse feriado".

O delegado também reclama da falta de vagas do sistema prisional. De acordo com Josimar Brito, a Secretaria de Justiça disponibilizava 25 vagas por semana para transferência dos detentos. Porém, nesta segunda-feira, ele recebeu a notícia de que apenas 10 poderiam ser enviados ao sistema. 


"Além da superlotação, temos que nos preocupar com as condições de saúde dos detentos. Aqui tem gente com hanseníase, com platina e até com bala alojada no pescoço. E tudo isso a Central tem que custear", acrescentou o delegado. 

Josimar Brito pede que a Secretaria de Justiça tome providências a respeito do problema. "O ideal é que aqui funcionasse igual a Polícia Federal, sendo que logo após o flagrante os detentos fossem encaminhados ao sistema prisional. Está na hora da Secretaria abraçar a nossa causa, pois a Central não consegue mais acomodar".


O número de presos na Central, segundo o delegado, já é maior que o da penitenciária de Oeiras. "Se não tiver lugar aqui em Teresina para colocá-los, poderia enviá-los para outros lugares, como Parnaíba e Oeiras, que tem de 45 a 50 presos". 

Cida Cardoso (especial para o Cidadeverde.com)
Fábio Lima (Da Redação)
redacao@cidadeverde.com
Imprimir