Cidadeverde.com
Últimas

Exército pode trazer tropas do Ceará e Pernambuco para eleições no Piauí

Imprimir
  • IMG_1812.jpg Wilson Filho
  • IMG_1810.jpg Wilson Filho
  • IMG_1809.jpg Wilson Filho
  • IMG_1803.jpg Wilson Filho
  • IMG_1798.jpg Wilson Filho
  • IMG_1794.jpg Wilson Filho
  • IMG_1791.jpg Wilson Filho
  • IMG_1788.jpg Wilson Filho
  • IMG_1779.jpg Wilson Filho
  • IMG_1777.jpg Wilson Filho
  • IMG_1776.jpg Wilson Filho
  • IMG_1773.jpg Wilson Filho
  • IMG_1768.jpg Wilson Filho
  • IMG_1763.jpg Wilson Filho
  • IMG_1758.jpg Wilson Filho
  • IMG_1755.jpg Wilson Filho
  • IMG_1746.jpg Wilson Filho
  • IMG_1733.jpg Wilson Filho
  • IMG_1731.jpg Wilson Filho
  • IMG_1728.jpg Wilson Filho
  • IMG_1721.jpg Wilson Filho
  • IMG_1712.jpg Wilson Filho
  • IMG_1711.jpg Wilson Filho

Homens do Exército de Pernambuco e Ceará poderão vir ao Piauí reforçar a segurança nas eleições de 2014. A vinda das tropas ainda depende, no entanto, de aprovação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Segundo o tenente-coronel Jakson Figueiredo, comandante do 25° Batalhão de Caçadores, o Exército nesses Estados já está em alerta para a possibilidade de reforçar a segurança no pleito no Piauí. O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) já pediu que o TSE aprove o envio de tropas para 64 dos 224 municípios do Estado.

O comandante também afirmou que o Exército está preparado para atender as demandas nos munícipios do interior do estado. O comandante disse que 72 veículos devem ser usados durante a eleição e que o número de oficiais destacados só será decididos após decisão do TSE de quais municípios receberão as tropas.

O presidente do TRE-PI, Edvaldo Moura, disse que o estado está preparado para realizar uma eleição limpa, livre de crimes como a compra de votos.
 
"Queremos que as eleições de 2014 sejam as melhores. O Piauí quer dar esse exemplo e realizar uma eleição que limpa sem registro de compra e venda de votos e abuso do poder econômico e politico, porque isso não condiz com a nossa história e com os interesses da pátria", declarou após reunião nesta quarta-feira com os órgãos que devem cuidar da segurança do pleito.
 
Emanuela Pinto (especial para o Cidadeverde.com)
[email protected]

Imprimir