Cidadeverde.com
Geral

Após exame positivo em aves, Piauí tem o 1º caso provável de febre do Nilo

Imprimir

Após o resultado positivo do primeiro exame para febre do Nilo ocidental em um paciente vindo do interior do Estado, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) confirma que das 18 aves analisadas, três tiveram resultado positivo para a doença. Sendo assim, o caso considerado suspeito, subiu para o patamar de provável. A Fundação Evandro Chagas, em Belém (PA), deve emitir o resultado do exame confirmatório em 15 dias. 

Neurologista Marcelo Vieira 

O agricultor de Aroeiras do Itaim, 332km de Teresina, deu entrada no Hospital de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP) no mês de setembro apresentando um quadro de paralisia dos membros inferiores e encefalite. Ele deixou o hospital paralítico e não se sabe se o quadro será reversível.  

"A situação de suspeito para provável já seria um fato inédito no Brasil, que nunca registrou nenhum casa da doença em humanos. Mesmo que não se confirme, antes, não se tinha chegado nem a um diagnóstico inicial da doença", afirmou o neurologista e epidemiologista da FMS, Marcelo Vieira.

Ele explica que foi realizado um exame preliminar que apontou como positivo para febre do Nilo ocidental. "Após o resultado do exame no paciente, foi recolhido material em aves na cidade de Aroeira do Itaim, e das 18 amostras, três foram positivas. O material recolhido nos animais também foi enviado para exame confirmatório na Evandro Chagas". 

O médico explica que foram feitos exames também em 18 pessoas, familiares e vizinhos, que estiveram em contato com o agricultor. Todos com resultado negativo. 

Mesmo que o caso não seja confirmado pelo novo exame, o Ministério da Saúde deve promover ações de vigilância epidemiológica na cidade de Aroeira do Itaim e Itainópolis, já que o agricultor mora  na divisa entre os dois municípios. "Mesmo não sendo confirmado, é um sinal de que a doença se aproxima do Brasil. Novos inquéritos devem ser feitos em animais e se confirmar o resultado positivo, deve ser feita uma amostragem estadual". 

Até sexta-feira (07), o MS deve promover uma videoconferência com técnicos da FMS, Secretaria Estadual de Saúde e da Fundação Evandro Chagas para interpretar o resultado dos exames feitos nas aves em Aroeiras do Itaim. 

A Febre do Nilo Ocidental  é uma Infecção viral que pode transcorrer de forma subclínica ou com sintomatologia de distintos graus de gravidade, variando desde febre e mialgia até encefalite grave. As formas graves ocorrem com maior frequência em idosos.

Em relação a situação epidemiológica da Febre do Nilo Ocidental no Brasil, ainda não há registros de casos confirmados no país, segundo o Ministério da Saúde.

Os únicos ocorridos a respeito da enfermidade no Brasil são achados sorológicos em animais (equídeos e aves) na região do Pantanal, estado do Mato Grosso.

Marcelo Vieira diz que a doença não é letal, mas nos casos onde há manifestação neurológica grave, o paciente pode ficar com sequelas motoras, por exemplo. Já foram registrados casos em humanos nos Estados Unidos, Europa, Canadá e em alguns países da América Central e do Sul. "Apenas 1% dos casos manifestam quadro neurológico grave. Em 75%, o paciente não apresenta nenhum sintoma, e  25% podem apresentar febre, dores no corpo, vômitos, sintomas parecidos com os da dengue". 


Sana Moraes 
[email protected] 

Imprimir