Cidadeverde.com
Últimas

Filho de Péricles lança 1º disco e diz não temer comparações

Imprimir

 Ele nasceu e cresceu vendo o pai se tornar um dos maiores nomes no mundo do samba. Com a genética herdada, foi praticamente impossível para Lucas Morato não seguir os passos do pai, o cantor Péricles: "Posso dizer que foi algo que nasceu comigo, cresci vendo o sucesso dele e aprendi com ele a gostar do que ele gostava. Ele me influenciou a gostar de música boa."

 

 

O jovem conta que não se incomoda com as comparações com o pai: "Me dou muito bem com as comparações, com as semelhanças, não tenho como fugir disso e nem tento, afinal, são qualidades, são coisas boas, são influências que herdei. Como posso temer ser comparado com tanta coisa boa? Com uma pessoa tão talentosa e que obteve tanto sucesso?"

Ainda pré-adolescente, Lucas montou seu próprio grupo, Filhos do Samba, e não parou mais de cantar: "Comecei a tocar cavaquinho aos 9 anos e aos 11 montei o grupo, desde então soube que era isso que queria fazer para o resto da minha vida. Comecei a compor, tocávamos na noite, estávamos muito unidos", relembra.

Agora, aos 21, cantor lança seu primeiro CD solo, chamado Muito Prazer, e sonha conquistar o público com sua música: "Foram vários dias correndo atrás do repertório, de toda a preparação do CD. Foi um processo que durou dois anos. Não foi fácil, mas valeu a pena. Gostei muito do resultado, ficou melhor do que eu esperava."

 Ele diz que teve que enfrentar algumas barreiras para a concretização do projeto, mas que em nenhum momento pensou em desistir da carreira de músico: "Trabalhar em grupo é muito difícil, na carreira solo as coisas deram muito certo. Quando saí do grupo foi uma fase complicada também, fiquei muito ansioso e até decidir fazer carreira solo e colocar os planos em prática. Foi bem difícil."

O jovem, que está cursando o primeiro semestre de faculdade de música em Santo André, em São Paulo, onde mora, diz ainda que o fato de ser filho de um cantor tão famoso o fez aprender muito. "Ser filho do Péricles, essa é uma lição que vou levar para sempre. Muitos dizem que não é justo que eu tenha sucesso como o meu pai por não ter sofrido como ele sofreu para chegar aonde chegou, dizem que nunca vou ser reconhecido como ele foi. E aprendi que não é assim, sei do meu talento, do meu esforço e sei que vou conseguir. Não tenho como agradar todo mundo, mas estou evoluindo e aprendendo cada vez mais", afirma.

 No campo amoroso, de maneira tímida, Lucas conta que o assédio feminino aumentou bastante após o lançamento do disco, mas revela que não está disponível no mercado: "Estou namorando, faz pouco tempo, mas adoro receber o carinho das fãs. Minha namorada entende e me apoia bastante. Acho importante esta troca com o público e respondo sempre que posso."

O cantor diz ainda que a mulherada vai pra cima mesmo e que além das cantadas mais picantes, fazem pedidos ousados: "Algumas pedem selinho, outras pedem para tirar fotos sentadas no meu colo, chega a ser engraçado."

Além de estar se destacando como cantor, Lucas também já mostrou que leva jeito para compositor. Ele assina cinco composições do CD e teve músicas gravadas por outros artistas."Teve a 'Nosso futuro, música que fiz com o Pedrinho do Cavaco, que é um grande amigo, Levi de Paula e Kikinha, e que foi gravada pelo Netinho, entre outras. É difícil explicar de onde vem a inspiração para compor. Algumas letras são coisas que aconteceram comigo e eu potencializei. Outras, eu me inspirei em outras pessoas e agarrei para mim. Eu procuro entrar naquela história ali, me imaginar naquela situação. Gosto de compor de uma forma diferente, que surpreenda", explica.

Além de Péricles, como não poderia deixar de ser, o jovem diz que tem a infuência de grandes músicos: "Adoro Arlindo Cruz, Jorge Vercillo, que é um compositor genial, Thiaguinho, e é claro, meu pai, que se não for o melhor, é um dos melhores compositores do Brasil".

 

Fonte: Ego

Imprimir