Cidadeverde.com
Geral

Menino de 9 anos morre atropelado na Ponte Estaiada; População bloqueia via

Imprimir
  • 38f7bcde66444d15a56e1071b4ddce29.jpg Imagens enviadas pelo Whatsapp
  • fd55c0c18fddc80b0396eb8534e728b3.jpg Imagens enviadas pelo Whatsapp
  • 3e813da1f8ea98aa97653861101001a2.jpg Imagens enviadas pelo Whatsapp
  • a4650066b93f54712d8c8c624f7c30e7.jpg Imagens enviadas pelo Whatsapp

Atualizada às 11h02 (horário local)

Moradores do Morro da Esperança informaram que irão fechar novamente neste domingo (30) a Alameda Parnaíba, na saída da Ponte Estaiada - local onde o menino Marcos Vinícius Sousa Vasconcelos, 9 anos, foi atropelado e morreu. Segundo os populares, a criança estava atravessando a via para ir a um aniversário, quando foi colhida pelo carro. Ela estava com outras duas crianças, que conseguiram atravessar a alameda. 

Com a colisão, Marcos Vinícius teria sido arremessado metros a frente do veículo. Os moradores denunciam que o condutor fugiu sem prestar socorro à vítima. Eles contam também que esta é a segunda tragédia da mesma família. Há pouco tempo, a irmã adolescente do menino foi morta a tiros. 

O Morro da Esperança é conhecido pela polícia como um dos principais pontos de tráfico de drogas de Teresina. 

 

Publicada às 8h42 (horário local)

Um menino de nove anos identificado como Marcos Vinícius Sousa Vasconcelos foi atropelado na noite deste sábado (29), no lado norte da Ponte Estaiada. A criança não resistiu aos ferimentos e morreu.

O corpo foi liberado do Instituto Médico Legal ainda durante a madrugada. A vítima morava nas proximidades da ponte, no Morro da Esperança, também conhecido como Morro do Urubu.

A população do local, revoltada, bloqueou a via com pedaços de madeira e colchões, que foram incendiados para evitar que os carros passassem. 

O coronel Jorge Felipe, do Rone, informou ao Cidadeverde.com que a Polícia Militar foi acionada para conter a manifestação. "Não houve confronto. Após o diálogo com a população que estava fazendo o protesto, os policiais retiraram os troncos, pneus e colchões da via e o trânsito voltou ao normal", completou.

Até o momento não há identificação do veículo, nem do condutor que atropelou a criança. 

O comandante do CipTran, major Lucena, informou que o órgão não foi acionado para perícias no local, mas destacou que há câmeras na região que poderão ajudar a solucionar o caso. "Pelo que sabemos, não houve batidas de veículo com veículo. O que aconteceu foi que alguns condutorestentaram furar o bloqueio que a população fez e acabaram danificando os veículos", disse o comandante.

Nas redes sociais, como o WhatsApp, circularam informações de que, após o bloqueio da ponte, os manifestantes estavam atirando pedras em veículos que se aproximavam. Também há boatos de que estavam sendo realizados assaltos.

 

Jordana Cury
[email protected]

Imprimir