Cidadeverde.com
Geral

Sindicato denuncia superlotação na Central de Flagrantes e ameaça paralisação

Imprimir
  • cf7.jpg Divulgação: Sinpolpi
  • cf6.jpg Divulgação: Sinpolpi
  • cf5.jpg Divulgação: Sinpolpi
  • cf4.jpg Divulgação: Sinpolpi
  • cf3.jpg Divulgação: Sinpolpi
  • cf2.jpg Divulgação: Sinpolpi
  • cf1.jpg Divulgação: Sinpolpi

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpolpi) denunciou nesta quarta-feira (11), que a Central de Flagrantes da capital está superlotada. De acordo com o Sinpolpi, 72 presos estão no local, sendo 17 deles com prisão preventiva decretada.

"Nós já estivemos com o secretário de segurança e falamos que a situação da central é grave. As instalações fisicas estão precárias. Os ar condicionados estão quebrados. Não há água e o local é um perigo constante de rebelião. Eles (segurança) já sabem, mas até agora nada mudou", disse Constantino Junior, do Sinpolpi.

O presidente do sindicato define a situação como humilhante para os profissionais e que a sociedade corre grave risco. ""Vamos aguardar que sejam tomadas providências, mas se nada acontecer depois do carnaval, podemos fazer uma paralisação", ressalta.

O sindicato reclama ainda das péssimas condições do repouso dos plantonistas, sendo camas quebradas, além de colchões velhos. Aainda de acordo com o Sinpolpi, o estacionamento interno da Central de Flagrantes está servindo de depósito de veículos apreendidos, além de bicicletas, cadeiras velhas e outros materiais.

O portal Cidade Verde entrou em contato com a Secretaria de Segurança e aguarda um posicionamento do órgão.

Carlos Lustosa (Flash)
Hérlon Moraes (Da Redação)
[email protected]

Imprimir