Cidadeverde.com
Entretenimento

Atriz piauiense leva tapa de Léa Garcia e caso vai parar em DP

Imprimir

A atriz piauiense Gigi Brandão, 42 anos, registrou queixa de agressão e ameaça no 5º Distrito Policial no Rio de Janeiro contra a atriz Léa Garcia, 82 anos, diretora do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio (Sated). 

Segundo a piauiense, Léa lhe agrediu com um tapa na cara, após discussão na entrada do ciclo de leituras dramatizadas que aconteceu no Sindicato dos Artistas, no último dia 16 do mês passado. 

Gigi Brandão informou ao Cidadeverde.com que foi impedida de entrar no evento pela atriz alegando falta de vagas. A piauiense reagiu afirmando que estava lá a convite do diretor Délcio Marinho que fará a peça “Patética”, que teria leitura dramática naquela noite.

“Foi um abuso de poder. Léa Garcia me agrediu com um tapa na cara, simplesmente do nada, e tenho testemunhas. Ela é abusada, prepotente e arrogante.  Por ela ser idosa e negra, que já lutou por melhorias e oportunidades por direitos iguais, não poderia ela jamais ter me dado este tapa e ser arrogante e humilhar minha pessoa",desabafou a atriz.

Ela disse ainda que fez exame de corpo delito no IML e aguarda resultado do exame. A atriz pediu também cópias da gravação das câmeras internas como prova para atestar a agressão.  

“Recebi ameaça e intimidações e não vou me calar. Quero justiça. Vou entrar com ação pedindo inclusive indenização por ser humilhada e constrangida por uma diretora do Sindicato no qual foi associada”, disse Gigi Brandão desafiando: “Sou uma atriz desconhecida, mas queria saber se a postura seria a mesma se a atriz fosse Luana Piovani, por exemplo”.  

Léa Garcia rebateu as acusações da atriz através de sites nacionais. “Eu me excedi, mas ela me agrediu verbalmente, me enfrentou. Veio para cima de mim discutindo e colocou o dedo na minha cara. Nessa hora, eu segurei o dedo dela e devo ter dado o tapa, mas não quero mais falar disso. Fui muito desrespeitada e humilhada, e as pessoas só condenam agressões físicas, nunca as verbais”, disse Léa Garcia. 

Em sua página no Facebook, Gigi Brandão rebateu a resposta da triz: “Quem se sentiu e sente-se desrespeitada sou eu. Eu sou a vítima e como diz o ditado "Quem bate esquece, mas quem apanha não. Pessoas idosas devem ter sabedoria e não usar a maturidade pra sair por ai ofendendo com prepotência e arrogância pessoas”.

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir