Cidadeverde.com
Política

Diretora do TSE vem ao Piauí monitorar recadastramento biométrico

Imprimir

A diretora geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Lêda Bandeira estará no Piauí nesta segunda-feira(28) para acompanhar a primeira etapa da revisão eleitoral com coleta biométrica. A previsão é que Bandeira visite as 7ª e 96ª Zonas Eleitorais de Campo Maior e a 6ª Zona em Barras.

A diretora vem ao Piauí na companhia do Ronaldo Assunção Sousa do Lago, assessor da Diretoria Geral do TSE.

A primeira etapa da coleta biométrica está em andamento em cinco Zonas Eleitorais do estado englobando 18 municípios e o encerramento está previsto para 30 de outubro.

A visita faz parte de um conjunto de ações da Direção Geral do TSE, com o objetivo de verificar o monitoramento das metas estabelecidas pelo Tribunal em relação ao Projeto Biometria 2015-2016.

A segunda etapa do recadastramento começou no dia 1º de julho e deve se estender até o dia 17 de dezembro. Trinta e um municípios de 11 zonas eleitorais vão participar. A terceira e última etapa vai de novembro a março de 2016.

O TRE quer contemplar 35 Zonas Eleitorais, que envolve 86 municípios.  Ao todo serão convocados mais de 750 mil eleitores, o que representa mais de 33% do eleitorado do estado. O Tribunal estima que ao fechamento do cadastro eleitoral para as eleições municipais de 2016, aproximadamente 70% do eleitorado piauiense esteja com os dados biométricos cadastrados.

O recadastramento biométrico é obrigatório. Caso o eleitor não o faça terá seu título cancelado, o que implicará em uma série de impedimentos. Dentre os principais podem ser elencados: obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários, obter empréstimos em bancos oficiais.

O cancelamento do título eleitoral acarretará também em dificuldades para nomeação e investidura em cargos públicos, renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo, bem como obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.


Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir