Cidadeverde.com
Esporte

Campeões do Mundo jogaram no Lindolfo Monteiro

Imprimir
São decorridos 50 anos de um jogo de Futebol que entrou para a história da Capital Piauiense: River x Botafogo do Rio de Janeiro. No dia 29 de junho de 1958 o Brasil havia conquistado a Copa do Mundo da Suécia. O país inteiro ainda festejava a grande conquista internacional e pouco menos de um mês depois chegava a Teresina o Botafogo, com três campeões do mundo: Nílton Santos, Didi e Garrincha.



Tarde de 20.07.1958 e Teresina estava em festa para um jogo que parecia impossível de ser realizado na Capital Piauiense. O palco do espetáculo (Estádio Lindolfo Monteiro) nem ao menos tinha gramado. Parecia um dos inúmeros campos que temos atualmente nos bairros de nossa Capital Piauiense. Quem esteve presente afirma que foi um domingo para não ser esquecido. O empresário esportivo Francisco de Assis Sá Meireles (Cizoca) foi o responsável pela contratação do jogo. O professor Afrânio Nunes era o Presidente do River.

Previsões de Massacre

Carlos Said, Pedro Mendes Ribeiro e outros esportistas que estiveram no jogo afirmam que "todos falavam em goleada, em verdadeiro massacre do Botafogo em cima do time Piauiense". Mas foi tudo diferente. O River foi à luta e conseguiu o empate de 2 x 2. O jovem lateral esquerdo Quincas, então com 20 anos de idade, recebeu a dura missão de marcar Garrincha, considerado o maior ponta da história do futebol Mundial. E Quincas, hoje com mais de 70 anos, afirma:

- Não fiquei nervoso. Eu era rápido e não deixei Garrincha fazer a sua jogada de aplicar o drible pela direita.

Manoel da Silva (Né) e João Saldanha eram os técnicos das duas equipes.

River 2 x 2 Botafogo do Rio de Janeiro

Data - 20.07.1958

Local - Estádio Municipal Lindolfo Monteiro

Gols - Neivaldo e Quarentinha (Botafogo); Diderout e Carlito (River).

Times que atuaram:

River - Anivaldo (Antônio Luiz), Zequinha (Dimas) e Albecino, Ventura, Murilão (Jorge) e Quincas (Taçu), Catita, Carlito (Diderout), Valdinar, Zé Batista e Erasmo.

Botafogo - Ernani (Adalberto), Tomé e Servílio, Zé Carlos (Ademar), Beto e Nílton Santos, Garrincha, Didi, Quarentinha, China (Rossi) e Neivaldo (Garrinchinha).


Dídimo de Castro
Tags:
Imprimir