Cidadeverde.com
Geral

Mulheres presas com 66 tabletes de maconha ganham liberdade no dia seguinte

Imprimir

Francisleide Menezes da Silva e Evanilza Gonaçalves Lima tiveram a liberdade provisória declarada nesta quarta-feira (18) depois de terem sido presas com 66 tabletes de maconha, cocaína pura, veículos e uma pistola 380, durante operação nesta segunda-feira (16), nos bairros Dirceu, Primavera e em Timon-MA.

A ordem de liberdade foi decretada pelo juiz Arilton Rosal, do Tribunal de Justiça do Piauí, que considerou que as mulheres não oferecem perigo à sociedade. "Não fica demonstrado que a prática de delitos é um estilo de vida das indiciadas, não estando estas respondendo, em alguma vara criminal, por nenhum outro crime, não sendo vislumbrado, assim, serem as mesmas consideradas periculosidade a ponto de ser aconselhável sua segregação", relata a decisão.

O documento afirma ainda, que não existem motivos para a prisão preventiva das indiciadas. "Considerando serem as autuadas primárias e ausente de periculosidade, tendo em vista ser este o primeiro processo criminal a que as mesmas respondem, sobram razões para a concessão de sua liberdade provisória", atesta.

Segundo a Polícia Civil, Evanilza Lima é suspeita de trabalhar em um esquema de tráfico de drogas interestadual. "Evanilza comprou 32 peças da droga e contratou a Francisleide como 'mula' para que levasse para São Luís (MA)", afirmou o delegado Matheus Zanata, da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre).

A dupla deverá agora ficar a disposição da Justiça para prestar esclarecimentos durante o processo.

Lucas Marreiros (Especial para o Cidadeverde.com)
[email protected]

Imprimir