Cidadeverde.com
Destaques da TV/Rádio

Médico fala sobre paralisia facial no Notícia da Manhã; assista

Imprimir

Nesta terça, 1º de março, o tema do quadro Saúde do Notícia da Manhã foi Paralisia Facial, que se caracteriza pela perda de movimentos da face ocasionada por problemas nos nervos e normalmente acontece em um dos lados do rosto.

Existem dois tipos de paralisia facial: Central, provocada por um AVC e que atinge metade inferior de um lado da face, e a Periférica, que possui inúmeras causas, entre elas, infecção ou inflamação do nervo facial, infecções de ouvido, trauma na cabeça, doenças autoimunes, como esclerose múltipla, hipertensão, diabetes e até vírus.

A fisioterapia é uma aliada importante no tratamento e quando mais precoce o início do procedimento mais rápida a recuperação dos movimentos da face.

No estúdio, o médico neurologista, Elizeu Neto, tirou algumas dúvidas sobre o tema e mostrou, com imagens, a diferença entre os dois tipos de paralisia. Segundo ele, na paralisia facial periférica, a principal manifestação é a incapacidade de fechar o olho.

O médico esclareceu que a paralisia facial é o comprometimento direto do nervo facial e que vários estudos mostraram associação do problema com o vírus herpes tipo 1, que é o vírus do herpes labial.

O especialista disse ainda que metade dos pacientes que tiveram paralisia facial melhoram sem que muita coisa seja feita, mas o tratamento pode incluir uso de cortecoides na fase aguda e fisioterapia.

O neurologista informou que normalmente a paralisia facial acontece uma única vez, mas existem casos de paralisia facial periférica em que o paciente pode ter recorrência dos eventos. Ele alertou também que a periférica é sinal de uma doença e, provocada pelo vírus herpes tipo 1, vem acompanhada de alguns sinais como dor atrás do ouvido, problema de audição, a pessoa escuta mais alto, e alteração no paladar. Se ocasionada pela reativação do vírus da catapóra, pode surgir bolhas no ouvido. "[São] Sintomas que vem junto da paralisia facial. Eles podem ajudar na causa, no diagnóstico e consequentemente no tratamento", falou.

Assista na íntegra o quadro Saúde sobre Paralisia Facial!

Marcelo Lopes
marcelolopes@cidadeverde.com

Imprimir