Cidadeverde.com
Esporte

Judoca Sarah garante: 'Essa medalha vai sair'

Imprimir
Depois do velocista Cláudio Roberto Sousa, o Piauí pode voltar a ter um medalhista olímpico. Ou melhor, uma medalhista olímpica. Na madrugada deste sábado (9), Sarah Menezes entra no tatame do ginásio da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pequim, para a estréia da primeira mulher do Estado em Jogos Olímpicos. Jamais colocada pela imprensa e especialistas como favorita, e também nunca citada como mera coadjuvante no torneio, ela é cotada como uma das possíveis surpresas da competição. Nas apostas, candidata a pelo menos uma medalha de bronze, que seria a primeira da história do judô brasileiro.
 
Foto: Cidadeverde.com
Isso aumenta ainda mais a euforia de parentes, amigos e da torcida no Piauí, que acompanha a judoca desde os primeiros títulos nacionais. Responsabilidade grande para quem tem só 18 anos, mas que já se comporta como adulta, atleta profissional. O Cidadeverde.com conversou com a judoca na última quinta-feira (7) e pode perceber como Sarah está centrada, focada em seu objetivo. A conversa foi mais amena, mas serviu para a judoca mandar um recado aos que ficaram no Brasil.
 
"Peço a todos que torçam por mim, pensamento positivo que tudo vai dar certo. Essa medalha vai sair! Obrigada pela torcida de todos e um grande beijo", declarou ao Cidadeverde.com.
 
Sarah tem sido rigorosa consigo, determinada em buscar seus objetivos, e pareceu ser bem mais confiante na medalha ao chegar em Pequim do que quando deixou Teresina, com discurso modesto. Na China, ela até ignorou solenemente o sorteio das chaves, e vai para o ginásio neste sábado sem saber quem irá enfrentar. Quando perguntada sobre as rivais, não tocou no assunto. Preferiu falar de como tem passado os dias na China, se divertindo com os colegas de seleção, reclamando da poluição, e adorando o cardápio.
 
"Aqui tem tudo que você imaginar, estou no Brasil, estou num paraíso! Tem tudo: picanha, frango grelhado, arroz com camarão...", disse Sarah, beneficiada com a contratação de uma nutricionista pela Confederação Brasileira de Judô, que toma todo o cuidado para que a alimentação dos judocas seja saborosa, mas sem comprometer o metabolismo de cada atleta.
 
Antes de lutar, falta apenas ouvir pessoalmente os últimos conselhos do sensei. O técnico Expedito Falcão chegou a Pequim, mas ainda não se encontrou pessoalmente com a judoca. "Ainda não tive contato com ele, amanhã (8) devo vê-lo", confirmou Sarah, que não irá para a cerimônia de abertura dos Jogos. Se for servir para que essa medalha realmente saia, o esforço está valendo.
 
 
Fábio Lima
Tags:
Imprimir