Cidadeverde.com
Geral

BNB lança nota sobre suposta fraude com empresa do PI

Imprimir
O Banco do Nordeste lançou nota nesta quarta-feira (20) para se posicionar a respeito das buscas e apreensões feitas pela Polícia Federal do Ceará na sua sede em Fortaleza/CE, incluindo escritórios da presidência e diretores, e em residências de funcionários. Foram nove mandados executados, dois deles na empresa Frutan - Frutas do Nordeste -, em Teresina. Esta teria sido beneficiada por uma fraude que reduziu em dezenas de milhões os valores de uma dívida por empréstimo.
 
De acordo com a assessoria do BNB, o próprio banco fez sindicância interna encerrada em setembro ano passado, quando forma instaurados processos administrativos atualmente em fase de conclusão. O Cidadeverde.com apurou que uma dívida de R$ 60 milhões teria diminuído para menos de R$ 10 milhões. O banco diz ainda que nunca deixou de informar às autoridades de controle externo das irregularidades detectadas.
 
  • NOTA À IMPRENSA
     
    A direção do Banco do Nordeste do Brasil S.A. (BNB) foi surpreendida na manhã de ontem, 19, com a execução, por parte de agentes da Polícia Federal, em sua sede, em Fortaleza, de mandados de busca e apreensão de documentos referentes à renegociação da operação contratada pela empresa FRUTAN (Frutas do Nordeste), com recursos do FNE (Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste). 

    Sobre o episódio, o Banco do Nordeste do Brasil vem a público prestar as seguintes informações:
     
    1.        O BNB atua nos mais diversos segmentos do mercado de crédito, financeiro e de capitais. Ao longo de sua existência, o Banco sempre manteve uma postura conservadora de preservação dos fundos públicos sob sua gestão, de seu capital e de seus clientes.
     
    2.        A Instituição segue os mais rigorosos padrões de governança corporativa e seus resultados são permanentemente auditados e publicados.
     
    3.        O BNB reitera que quaisquer ocorrências com suspeitas de irregularidades são objeto de imediata apuração por meio de sindicâncias e processos administrativos, de acordo com a legislação, respeitando sempre os princípios da ampla defesa e do contraditório em relação aos acusados. Ressalte-se que eventuais irregularidades, quando detectadas, sempre são comunicadas aos órgãos de controle externo pelo próprio Banco.
     
    4.        No caso das suspeitas envolvendo a liquidação de dívidas da empresa FRUTAN, o BNB deu início, em 13/04/2007, à competente sindicância interna que foi encerrada em 14/09/2007. Em 17/09/2007, foram instaurados processos administrativos, que se encontram atualmente na fase conclusiva.
     
    5.        As autoridades constituídas foram devidamente informadas e, durante todo o processo, o BNB sempre forneceu todas as informações e documentos requisitados pelos órgãos controladores e pela Polícia Federal.
     
    6.        Por fim, o Banco do Nordeste reafirma que adota uma política de recuperação de créditos conservadora, com base na legalidade e em rígido sistema de gestão de riscos. É essa linha de atuação que faz do BNB uma instituição respeitada por seus clientes, parceiros e concorrentes.
Da Redação
[email protected]
Tags:
Imprimir