Cidadeverde.com
Entretenimento

Performance poético-musical traz Camões em hip-hop

Imprimir

Com a performance poético-musical ?Camões é Um Poeta Rap?, a portuguesa Gisela Cañamero abre a programação cultural na Estação Trilhos, dentro do Festival de Teatro Lusófono. Entre os textos que serão interpretados destacam-se trechos da obra ?Os Lusíadas?. O espetáculo inicia a partir das 23 horas.

A peça, que divulga o trabalho de um dos maiores escritores e divulgadores da língua portuguesa, foi concebida para pequenos auditórios, cafés e livrarias. A intenção, segundo a autora, é manter uma relação de proximidade emocional com o público.

Ambientada com sonoridade em hip-hop, Cañamero canta e declama trechos das obras literárias, além de relatar um pouco da vida pessoal e do lado artístico de Camões. Entre um dos momentos marcantes da apresentação, o público acompanha trecho de ?Os Lusíadas?.

 
Dramaturga também ministra oficina e dirige peça
 

Gisela Cañamero tem uma produção bastante difundida e atua como professora convidada de várias universidades européias, como a de Évora e de Compostela. Na Europa, ainda tem realizado workshops e seminários voltados a formação complementar de profissionais explorando temas como ?Processos Criativos Integrados?, ?Práticas de Performance e Criatividade?.

Durante o FESTLUSO ela ministrará a oficina de ?Criação Teatral? na Escola Técnica de Teatro Gomes Campos, em frente ao Lindolfo Monteiro, na zona Norte, de 27 a 29, das 9 às 12 horas.

 
"As Velhas? propõem reflexão social

Formada pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e com mestrado em Criatividade pela Universidade de Santiago de Compostela, Cañamero tem larga atuação no âmbito do teatro musical e de movimento e drama.

Um pouco dessa versatilidade fica bem aparente em suas produções junto à Cia. de Artes Públicas de Beja (Portugal). Uma delas, a peça ?As Velhas?, será apresentada no sábado à noite no Theatro 4 de Setembro. O espetáculo intimista retrata o universo de das mulheres na terceira idade.

A atmosfera da peça é conduzida por Etelvina e Ifigênia, interpretadas pelos atores Paulo Duarte e Luís Proença, que encarnam duas senhoras com idades em torno dos 70 anos. Elas recebem o público em uma sala de estar para uma espécie de tertúlia literária. O encontro é preenchido por música, humor, poesias e reflexão social.

Entre os textos que serão recitados em ?As Velhas? constam obras de Camões, Baudelaire, Ferreira Gullar e Augusto dos Anjos, entre outras referências literárias. Quanto às canções, o público se delicia com letras como a de Cha Cha Cha em Lisboa, de Artur Ribeiro e Ferrer Trindade.

Em Portugal e outros locais da Europa, onde excursionou, o espetáculo recebeu vários elogios da crítica especializada, que destacou a habilidade dos atores, sobretudo nos momentos em que as ?velhinhas? Etelvina e Ifigênia conversam com o público sobre a vida, o tempo e as vivências que somente duas mulheres na terceira idade podem relatar.

 

Tags:
Imprimir