Cidadeverde.com
Geral

Estelionatário usava de 'influência' com políticos para aplicar golpes

Imprimir

Agentes do 8° Distrito Policial prenderam, na manhã desta quinta-feira (15), Willanimy Guedes Miranda, 29 anos. Ele é suspeito de praticar estelionato e teria feito pelo menos duas vítimas, causando prejuízo de mais de R$ 15 mil a elas. 

A prisão foi feita em uma residência situada no bairro Renascença III, na zona Sudeste de Teresina. Na casa, a polícia encontrou celulares, relógios, cartões de crédito e mais de R$ 1000 reais em dinheiro. 

De acordo com as investigações, Willanimy se apresentava como locatório de veículos do governo do Estado e de prefeituras. Ele utilizava essa falsa profissão e convencia vítimas  dizendo que facilitaria a compra de carros novos a elas. 

Em um dos casos, Willanimy chegou a levar uma vítima a uma concessionária. O homem, que prefere não se identificar, conta que pagou R$ 11.500 ao suposto estelionatário. Depois deste pagamento, o mesmo desapareceu. 

“Ele exigia que comprássemos um carro novo, modelo 2016. Acabei vendendo o carro que eu tinha e paguei a primeira parte”, conta uma das pessoas lesadas por Willanimy.  

Outra vítima que teve prejuízo em R$ 5.500 lamenta ter caído no golpe. “Quando a gente pensa que caiu num golpe desses, a gente fica envergonhado", disse. 

O delegado titular do 8° DP, Marcelo Leal, apurou que Willanimy se aproveitava de suposta  aproximação de políticos para ganhar confiança das vítimas. Em um perfil de rede social, ele aparece ao lado do governador Wellington Dias  e de outros políticos durante a campanha eleitoral. 

“Era uma pessoa muito articulada, que anda bem vestida, carro bom, e que passa essa boa impressão para suas vítimas, que sentem uma certa confiança. Depois de uma convivência, elas dão dinheiro pedido por ele na esperança de receberam o que ele prometeu. É um estelionatário”, explica o delegado. 

O delegado informou, ainda, que Willanimy já cumpriu pena por estelionato e foi autuado novamente pelo crime. O preso está à disposição da Justiça e deve ser encaminhado ao sistema prisional. 

Izabella Pimentel (com informações de Gorete Santos)
Especial para o cidadeverde.com
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir