Cidadeverde.com
Política

PF prende nº 2 da instituição; Corrêa deu voz de prisão

Imprimir

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira o diretor-executivo da instituição, Romero Menezes, por advocacia administrativa. Menezes ocupava o segundo cargo mais importante na hierarquia da PF atrás somente do diretor-geral, Luiz Fernando Corrêa.

De acordo com informações da PF, foi o próprio Corrêa quem deu voz de prisão a Menezes, por volta das 10h, em Brasília. Na hora, Menezes estava acompanhado do diretor de inteligência policial da PF Daniel Lorenz. O lugar de Menezes deve ser ocupado temporariamente por Roberto Troncon, diretor de combate ao crime organizado da PF.

A PF vai dar uma coletiva ainda hoje para dar mais detalhes da operação, que é um desdobramento das investigações da operação Toque de Midas, realizada em julho deste ano contra fraudes em processo licitatório de concessão da estrada de ferro do Amapá.

No desdobramento de hoje a PF cumpriu mais dois mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão nos Estados do Amapá, Pará e no Distrito Federal.

Segundo a PF, as investigações identificaram indícios de crimes envolvendo um funcionário do grupo EBX --pertencente ao empresário Eike Batista-- e Menezes.

A Polícia Federal informou que os dois investigados ligados ao grupo buscavam facilidades junto à PF para proveito das empresas, como fraude na inscrição para curso especial de supervisor de segurança portuária e credenciamento para instrutor de tiro sem análise dos requisitos legais.

Os presos são suspeitos de praticar os crimes de advocacia administrativa, corrupção passiva privilegiada e tráfico de influência.
 
Fonte: Folha Online
 
Tags:
Imprimir