Cidadeverde.com
Geral

Exame atesta estupro; Jovem apontará agressor pela voz

Imprimir
Fotos: Yala Sena/Cidadeverde.com



Policiais do 23º Distrito Policial (Vila Irmã Dulce) e 6º Batalhão da Polícia Militar, zona sul, capturaram na tarde desta terça-feira (16) três elementos suspeitos de terem participado do estupro contra R.G.S.A., na residência da jovem, filha de um policial da Força Nacional de Segurança. A delegada Vilma Alves ouvirá os homens nesta noite, mas afirma que indícios levam a crer que eles realmente participaram do crime. A vítima terá que reconhecê-los pela voz, já que estavam encapuzados.

Vilma disse que o crime foi cometido com requintes de perversidade. Os bandidos não levaram nada da casa, e invadiram a residência apenas quando a vítima estava só, por volta de 12h. Apesar de não ter visto o rosto dos agressores, a jovem poderá reconhecer os mesmos pela voz. Um deles avisou para ela que não iria roubar nada, e veio apenas estuprá-la.

Atualizada às 18h56min
A vítima não reconheceu nenhum dos três acusados, e todos eles foram liberados, informou a delegada Vilma Alves.



O exame feito na Maternidade Evangelina Rosa já comprovou a violência sexual da jovem de 18 anos, e não 17 como anteriormente foi informado. A delegada recebeu a documentação completa da vítima e o exame preliminar, que constatou um ferimento no braço esquerdo provocado por instrumento cortante, o que caracteriza defesa no momento da agressão.

Além disso, diz o laudo que as "escoriações no introito vaginal caracterizando conjunção carnal recente". Foram colhidas secreções para exames de espermatozóides. O laudo é assinado pela doutora Simone Maria da Silva Batista.



Yala Sena (flash da Delegacia da Mulher)
Fábio Lima (da Redação)
redacao@cidadeverde.com
Tags:
Imprimir