Cidadeverde.com
Entretenimento

Brasileiro 'Última Parada 174' vai disputar vaga para o Oscar

Imprimir
O filme Última Parada 174, de Bruno Barreto, foi escolhido para concorrer a vaga no Oscar e representar o Brasil na categoria de melhor filme estrangeiro. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira, no Rio de Janeiro.
 
Última Parada 174 representa
o Brasil na disputa por vaga
no Oscar
 
O cineasta Paulo Sérgio Almeida, um dos integrantes da comissão, disse que não tentou descobrir o perfil da Academia. "Escolhemos o filme que melhor representaria o Brasil, o que mais nos emocionou."

Última Parada 174 se inspira em uma história real. O filme aborda a vida de Sandro do Nascimento, menino de rua que sobreviveu à chacina da Candelária, em 2000, e seqüestrou um ônibus no Rio de Janeiro, fazendo uma moça de refém diante de atiradores de Elite.

Antes da produção de Barreto, o diretor José Padilha, de Tropa de Elite, tinha feito um documentário sobre a história chamado Ônibus 174.

Em 2009, a cerimônia da Oscar acontecerá no dia 22 de fevereiro, em Los Angeles. O anúncio dos indicados acontece um mês antes, em rede aberta americana.

O Ministério da Cultura recebeu 14 inscrições de filmes que estavam interessados em concorrer. Linha de Passe, de Walter Salles e Daniella Thomas, surpreendentemente não estava entre os inscritos, mesmo com o fato da atriz Sandra Corveloni ter ganhado o prêmio em Cannes.

No site do longa-metragem, Walter Salles disse que se o filme recebesse uma indicação, não teria como "representar o País com a responsabilidade que se faz necessária."

Participaram do júri os profissionais de audiovisual Alfredo Torres Bandeira, Silvia Maria Sachs Rabello, Maria Dora Genis Mourão, Giba Assis Brasil, Paulo Sérgio Almeida e Cleber Eduardo Miranda dos Santos. O secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Silvio Da-Rin, foi quem presidiu a banca examinadora.

O escolhido brasileiro deverá enfrentar outros concorrentes de 90 países. Deles, somente cinco são indicados na cerimônia oficial.

No ano passado, o filme escolhido pelo ministério, O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias, de Cao Hamburger, sequer chegou aos cinco finalistas. Tropa de Elite, que acreditava-se ser o favorito, ficou de fora da seleção oficial e mais tarde conseguiu o prêmio principal do Festival de Berlim.

 

Imprimir