Cidadeverde.com
Entretenimento

Espetáculo piauiense ganha três prêmios em Festival em São Paulo

Imprimir
Fotos: Margareth Leite

O espetáculo ?Álvaro de Campos em Pessoa?, do diretor e ator piauiense Adalmir Miranda, saiu vitorioso de apresentação no 8º Festival de Teatro Jaime Sanchez, realizado de 6 a 14 deste mês, em São Paulo. A peça trouxe para o Piauí 3 prêmios e 4 indicações e foi o único representante do Nordeste no Festival, que aconteceu em Botucatu.

O Grupo Corpos de Teatro conquistou os prêmios de melhor ator para Adalmir Miranda, melhor iluminação para Romero Sabóia e ficou ainda com o segundo melhor espetáculo, além de receber quatro indicações, que foram: melhor produção, melhor direção, melhor cenário e melhor figurino.
 O Corpos levou para São Paulo o monólogo "Álvaro de Campos em Pessoa", que completou 20 anos e nesta montagem, o diretor Adalmir diz que desenvolve pesquisa, procura trazer novas informações e formas de atuar. ?É isso que faz o espetáculo brilhar por tanto tempo e cada vez que é apresentado tem publico novo?, ressalta Adalmir.

Participar desse festival para o diretor é a oportunidade de mostrar o resultado do trabalho do artista não só para o Piauí, mas para outras pessoas, além de permitir a troca de experiências com outras companhias. "Fiquei muito honrado com este festival, pois concorri com grandes companhias e espetáculos de alto nível", diz Adalmir.
 
O Fejasa tem como proposta mostrar outras facetas e tendências e adaptações de texto para o teatro. Segundo a coordenação, são obras literárias de grandes autores revitalizadas pela metáfora teatral.

O júri do festival foi formado por Débora Vivam, que participou de várias montagens no Brasil e Itália; Luiz Amorim, ator de teatro e cinema, atuando no filme "7 Minutos"; e Def-téreos (o Grego), diretor no Brasil e premiado em montagens na Grécia.

Desafios
O Grupo Corpos de Teatro tem novos desafios pela frente. O diretor já começou a fazer a adaptação do livro "Os que bebem como os cães", de Assis Brasil, para o teatro. "É um trabalho difícil, pois a obra não tem diálogo e consiste em uma narração muito bem arquitetada, com temática atual e atemporal. É urna peça dramática que exige muito cuidado do grupo para mostrar a brilhante perspicácia de Assis Brasil", afirma Adalmir, declarando que esta nova montagem deve estrear o ano que vem. Além de "Os que bebem como os cães", o grupo pretende trabalhar ainda a peça "Diário de An-ne Frank" para 2009.

Imprimir