Cidadeverde.com
Política

Máquina no PI grampeia 1000 telefones de uma só vez

Imprimir
Pela primeira vez, o secretário Estadual de Segurança Pública, Robert Rios Magalhães, mostrou em rede nacional a máquina que faz os grampos no Piauí, a chamada ?caixa preta? ou ?guardião?.
 

A reportagem, produzida pelo jornalista Roberto Cabrini, sobre o grampo telefônico, mostra como o cidadão comum pode ser grampeado. A matéria apresenta o "Guardião", um programa de computador que pode escutar até mil ligações de uma só vez no Piauí.

Roberto Cabrini diz na matéria que obteve prévia autorização para ter acesso à máquina que produz os grampos. Ele revela que o equipamento fica em sala blindada e é considerado um dos maiores mitos da investigação policial.

?Aqui é capaz de monitorar centenas de ligações ao mesmo tempo?, garante o secretário Robert Rios e na reportagem ele explica como funciona a máquina: ?A operadora recebe ordem judicial para as interceptações telefônicas. A empresa joga para cá (máquina da Secretaria de Segurança) e aqui funciona como um ramal onde tudo é gravado?, afirmou Robert Rios.

Ele explicou que as interceptações telefônicas é uma arma poderosa na investigação de seqüestro, quartel de drogas, lavagem de dinheiro e crime de corrupção. ?O grampo além de convencer o juiz, convence a sociedade. Fica difícil para qualquer juiz mudar os fatos?, afirmou o secretário.

Robert Rios afirmou que se proibir as escutas telefônicas se voltaria a ?idade média? na investigação. O secretário fez um passeio com Robert Cabrini por Teresina e mostrou casos solucionados com os grampos. O que ele citou na matéria foi à operação que levou a prisão dos donos de postos de combustíveis, confirmando a formação de cartel na capital. Robert Rios relatou ainda a operação ?Citotec? que desvendou casas que fazem aborto com a participação de profissionais de saúde.

Yala Sena
 [email protected]

Tags:
Imprimir