Cidadeverde.com
Geral

Prova do concurso da Polícia Militar é anulada após vazamento de questões

Imprimir
  • conc4.jpg Wilson Filho/Cidade Verde
  • conc1.jpg Wilson Filho/Cidade Verde
  • conc5.jpg Wilson Filho/Cidade Verde
  • conc7.jpg Wilson Filho/Cidade Verde
  • conc9.jpg Wilson Filho/Cidade Verde

Atualizada às 14h57

O Núcleo de Promoção de Concurso (Nucepe) e a Secretaria de Segurança Pública do Piauí anunciaram na manhã desta segunda-feira (22) a anulação da primeira etapa do concurso da Polícia Militar do Piauí. De acordo com o comandante geral da PM-PI, coronel Carlos Augusto Gomes, comprovadamente houve vazamento de cinco questões de português.

"Tomamos a decisão de anular a primeira etapa após essa comprovação, pensamos nos 32 mil candidatos que se inscreveram, estudaram. Vazou uma questão ou a prova toda, não importa, o certame está contaminado. Nós vamos repetir a primeira fase. O concurso não será nulo por completo. Os inscritos serão os mesmos, não vamos abrir novas inscrições. As regras, inclusive de idade, serão as mesmas do edital. Sabemos que há um prejuízo, mas não podemos continuar um certame contaminado em sua origem", disse o comandante.

Ao todo, 12 pessoas foram presas e, dessas, duas são apontadas como responsáveis pelo vazamento. Dez foram liberadas após pagamento de fiança.

"A qualificação e identificação dos presos não serão repassadas para não atrapalhar as investigações", disse o delegado geral, Riedel Batista, reforçando que a anulação da primeira etapa visa garantir a lisura do certame.

Coordenador do Greco, o delegado Willame Moares disse que alguns dos conduzidos confessaram os crimes. 

"Muitos confessaram os crimes e indicaram a participação ainda de outras pessoas nas fraudes. No momento vamos manter o teor desses depoimentos em sigilo para não comprometer as investigações", declarou. 

A nova data para aplicação da prova ainda será divulgada. Uma reunião foi realizada na manhã de hoje após candidatos afirmarem que houve vazamento da prova dois dias antes da aplicação, além de flagrante de tentativas de fraude ao certame.   

Da Policia Civil participaram da reunião o secretário de Segurança, Fábio Abreu, o delegado geral Riedel Batista, o coordenador do Greco, Williame  Moraes, e o delegado Kleydson Ferreira. Da Polícia Militar, o comandante geral coronel Carlos Augusto. Do Nucepe, o presidente Pedro Junior e o reitor da Universidade Estadual do Piauí, Nouga Cardoso. 

O concurso

O certame da PM-PI teve mais de 32 mil inscritos que disputaram 400 vagas distribuídas em várias cidades do Piauí. O encerramento das provas se deu às 13h. 

Vazamento

O Cidadeverde.com conversou com candidatos, nesse domingo (21), que tiveram acesso às questões da prova dois dias antes do exame.

"Era como uma xerox, as questões eram as mesmas. Nós recebemos como se fosse uma revisão para a prova, por isso ninguém acreditou que fosse mesmo um vazamento. Mas as questões eram iguais. Nós que estudamos, fizemos cursinho, sabemos que não tem como um preparatório se antecipar dessa forma", relatou uma candidata. 

Flagrantes

Segundo o secretário, 12 pessoas foram conduzidas para a sede do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) por suspeita de tentativa de fraude. Todos foram autuados em flagrante e alguns liberados mediante pagamento de fiança. 

Entre os absurdos flagrados nos centros de aplicações de provas estão celular na cueca e o suposto gabarito em um pacote de biscoito. 

Comissão Organizadora

Em nota de esclarecimento enviada à imprensa, a Comissão Organizadora do concurso disse que a anulação da prova visa garantir a lisura do certame. 

A Nucepe informou, ainda, que a reaplicação da prova objetiva a ser realizada, contará com um esquema "ainda mais reforçado de segurança".

Veja nota na íntegra: 

O Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (NUCEPE) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), informa que, considerando denúncias de supostos vazamentos e fraudes relacionados à primeira etapa do Concurso para a Polícia Militar do Piauí, aplicada neste domingo (21), e pensando na garantia da lisura do certame, a prova será reaplicada. A decisão foi tomada em reunião ocorrida na manhã desta segunda (22), entre representantes do NUCEPE, Polícia Civil, Polícia Militar e Secretaria de Segurança do Piauí.
O NUCEPE enfatiza que não há indícios de que servidores do órgão estejam envolvidos na suposta tentativa de fraude e acrescenta que está colaborando com as investigações para que tudo seja esclarecido e os culpados, punidos. A reaplicação da prova objetiva a ser realizada, contará com um esquema ainda mais reforçado de segurança por parte das instituições parceiras, Polícias Civil e Militar, no intuito de prevenir o que o Núcleo classifica como quadrilhas de atuação nacional.
Em breve, um novo cronograma será lançado, comunicando as novas datas de realização da Prova Escrita Objetiva e demais etapas. O cronograma será amplamente divulgado para que todos os candidatos tomem conhecimento. O NUCEPE empreenderá todos os esforços de modo a garantir que a reaplicação ocorra com lisura e transparência, garantindo aos candidatos o êxito por mérito e não por meios ilícitos.

 

Graciane Sousa e Maria Romero
[email protected]

  • PROVAS1.jpg Reprodução
  • PROVAS2.jpg Reprodução
  • PROVAS3.jpg Reprodução
  • PROVAS4.jpg Reprodução
  • PROVAS5.jpg Reprodução
  • PROVAS6.jpg Reprodução
  • PROVAS7.jpg Reprodução
Imprimir