Cidadeverde.com
Geral

Adalgisa completa dez dias sem TV e recorre ao TRE/PI

Imprimir
A candidata do PMDB em Parnaíba, Adalgisa Moraes Sousa, completou nesta segunda-feira (29) a marca de 10 dias sem propaganda eleitoral gratuita na televisão, em função de decisão da juíza eleitoral Regina Freitas. Ela teria entendido que a coligação tem usado de imagens truncadas na TV, ao fazer denúncias contra a gestão de José Hamilton Castelo Branco (PTB), candidato a reeleição. Agora, os advogados querem entrar com um mandado de segurança para garantir a propaganda na televisão.
 



De acordo com Edvar Santos, advogado da coligação, não houve nenhuma infração que justificasse a proibição. Ele pretende conversar com a juíza nesta terça-feira para entender a situação e chegar a um acordo. Do contrário, vai impetrar mandado de segurança no Tribunal Regional Eleitoral - TRE. "Em Batalha, o juíz proibiu a propaganda, mas o TRE liberou após um mandado de segurança. Queremos retomar essa propaganda na TV até amanhã (terça)", disse por telefone ao Cidadeverde.com.

As denúncias contra Hamilton dizem respeito a praças em condições precárias, 40 toneladas de leite que teriam sido adquiridas com notas frias, e um acordão número 1029/2006 do Tribunal de Contas da União - TCU -, que obrigaria o prefeito a devolver R$ 719 mil pela irregularidade. "Não se pode fazer montagem, truncagem. Nós estamos fazendo é denúncias. Ninguém está inventando nada ali", afirmou Edvar, que não entende o que motivou a decisão.

Para Edvar, não é a primeira vez que a Justiça Eleitoral toma decisões equivocadas contra Adalgisa. A primeira foi impedir sua candidatura alegando que ela não estava filiada ao PMDB, o que foi negado em instâncias superiores. "Isso prejudicou sensívelmente a campanha. O pior é que o horário eleitoral deles saíram todos, enquanto o nosso ficou fora do ar", completou o advogado.

Fábio Lima
[email protected]
Tags:
Imprimir