Cidadeverde.com
Política

"Vamos ter que ficar atentos", diz governador ao avaliar crise financeira

Imprimir

Fotos: João Albert

 

O governador Wellington Dias (PT) garantiu que a fase mais desafiadora da crise foi superada, no entanto o momento é de bastante atenção. 

Segundo Dias foi necessário 'puxar o freio' nos quatro meses mais difíceis (fevereiro, julho, agosto e setembro) para garantir a manutenção de serviços essenciais. 

"De qualquer modo, vamos ter que ficar muito atentos. Afinal de contas, não paramos de ter quedas na receita em função da crise que vivemos em todo o país. Espero que tenha uma elevação na economia de todo o Brasil e do Piauí", acrescenta o governador.

Wellington Dias ressalta que, durante este período, foram elencadas prioridades básicas: pagamento dos servidores, manutenção dos serviços essenciais e capacidade de investimentos. 

"Nestes meses, além de perdermos receitas do Fundo do Participação dos Municípios (FPM) também caiu a receita partilhada com a União. Em um mês caiu 16%, em outro 26% e o que caiu menos reduziu 5%. Foi um momento desafiador que tivemos que puxar o freio para garantir o essencial", declarou Dias. 

Já para os próximos meses, a previsão é de retomada da normalidade do equilíbrio financeiro, segundo o governador. 

Wellington Dias comentou ainda sobre o projeto de lei do Governo do Estado (que tramita na Assembleia Legislativa) e aumentará  alíquotas de impostos  para alguns serviços  O petista afirmou que não é uma medida que seja 'tomada com prazer, mas por pura necessidade'. 

"Nossa equipe esteve dialogando com os empresários e compreendemos que era possível retirar o aumento de imposto sobre a energia elétrica porque já teve uma elevação de 27% do aumento na tarifa. Então, acatamos o pedido. Estas não medidas adotadas por prazer e que elas devem ser mantidas apenas por um período para que possa evitar uma situação mais grave nas finanças estaduais", explica Dias. 

Na manhã desta segunda-feira (16), o governador participou do lançamento do novo Data Center da Agência de Tecnologia de Informação do Estado (ATI). 


Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir