Cidadeverde.com
Política

Liberação dos R$315 milhões para o Piauí deverá ocorrer dia 26, afirma governador

Imprimir

O governador Wellington Dias (PT) acredita que o empréstimo de R$ 315 milhões junto a Caixa Econômica Federal deverá ser liberado no próximo dia 26, em parcela única. O governador chegou a ir pessoalmente a Brasília entregar a documentação que comprova que o Estado está apto a receber o empréstimo de R$ 315 milhões do governo Federal.

O gestor declarou que durante a reunião realizada com o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, na quarta-feira (17), apresentou uma mudança no calendário da Secretaria do Tesouro Nacional e que por isso o prazo, que seria finalizado nesta sexta-feira foi adiado para a próxima semana. 

Wellington Dias também ressaltou que foi a própria Caixa Econômica que pediu o entendimento de mais uma semana. “Mas o lado bom é que acertamos e dia 26 eu devo estar retornando a Brasília para celebrar o contrato. A previsão é de que próxima terça ou quarta se tenha a aprovação pela Caixa Econômica e, em seguida, a assinatura inclusive com o parecer da Procuradoria Geral da União”. 

“A gente tenha a perspectiva de que o presidente da Caixa venha ao Piauí para a liberação desses recursos”, acrescentou Wellington Dias.  

O recurso, de acordo com o governador deverá ser aplicado nas obras de mobilidade urbana nos 224 municípios do Piauí, o que também gerará emprego e renda para o Estado. 

O anúncio da liberação do recurso e do adiamento do prazo foi feito na tarde desta quarta-feira (18) durante a inauguração da obra da Estação Elevatória de Esgoto Riverside (EEE), localizada na Avenida Raul Lopes, zona Leste da capital.

Esta unidade integra o sistema de esgotamento sanitário de Teresina. A obra da EEE contou com a substituição da laje piso, troca dos conjuntos moto-bomba e adequação elétrica dos painéis de comando e gerador. Essas medidas farão com que a estação opere de maneira mais segura e eficiente.

"A meta é mais do que dobrar a quantidade de pessoas atendidas com esgotamento na cidade. Hoje nós temos um índice muito baixo, aproximadamente 19% da cidade atendida, nós devemos ir não para 40% que era a meta em 2020, agora queremos chegar a aproximadamente 50% de cobertura. Isso é uma politica de saude também, significa menos doença, e ambiental, pois protege os nossos rios". 

Para o presidente da Águas de Teresina, responsável pelo sanemaneto, o objetivo é fazer da capital piauiense referência nacional e líder na região Nordeste. "Os próximos passos é deixar de tratar emergencialmente a parte de água, passado a época do b-r-o-bró, e agora começamos a atuar no esgoto, que é a principal meta do contrato", disse. 

 

 

Flash de Carlienne Carpaso
redacao@cidadeverde.com

 

Imprimir