Cidadeverde.com
Política

Firmino diz que candidatura de Lula causará "radicalização" de cenário

Imprimir

O prefeito Firmino Filho (PSDB) avaliou um admissível cenário das eleições presidenciais deste ano sob duas perspectivas; com ou sem a candidatura do ex-presidente Lula. De acordo com Firmino, haverá uma “polarização” do pleito em dois palanques se Lula for candidato, o que tornará o panorama “tenso, radicalizado e violento”. 

Do contrário, se Lula não concorrer, de acordo com o gestor, as eleições serão imprevisíveis e mais brandas, sem surgimento de grandes nomes que detenham força para concorrer.  Em nível de partido, Firmino anunciou que o seu candidato do PSDB para a presidência é o governador Geraldo Alckmin.

“A nível nacional, acho que a eleição, ela vai ter cenários distintos, com a presença do Lula ou sem a presença dele. Com a presença, provavelmente o cenário vai ser muito polarizado. De um lado a candidatura do Lula e de outro a candidatura anti-Lula. Nesse cenário vai ser uma eleição muito tensa, radicalizada, violenta, enfim, vai ser um pleito para botar fogo no país como um todo.

Para Firmino, a presença do novo pode desequilibrar a eleição e a notícia da possibilidade de candidatura de Luciano Huck já é um indício disso.

“Se Lula não for candidato, provavelmente vamos ter uma eleição sem grandes favoritos, muito parecida com eleição de 89, onde os vários partidos apresentaram nomes novos e velhos. Acho que vai ser imprevisível. Podemos ter nomes novos aparecendo. Fiquei recentemente impressionado com o nome do Luciano Huck no estado do Piauí como um todo e é um fenômeno que parece que está aparecendo em todo o Brasil”

Firmino afirma que há um sentimento comum que pede mudança e enxerga que o deputado Luciano Nunes (PSDB) imergiu nessa ideia, lançando pré-candidatura ao governo do Piauí.

“A mudança está explícita em todo sentimento popular, e é justamente por isso que eu falo há algum tempo da necessidade que temos de caras e nomes novos que possam segurar essa bandeira e se colocar a disposição da população para estar sintonizado com essa emoção e sentimento que a população está tendo; mudança, cara nova, virar a página. [...] Luciano captou bem essa nossa bandeira e entendimento e se colocou a disposição. Acho que é uma coisa bem sintonizada com o sentimento da população”, salientou.

O chefe do executivo lembrou que o PSDB escolherá o seu candidato em março e defendeu o nome de Geraldo Alkimin. “O PSDB deverá eleger o seu candidato agora em 4 de março, entre o Artur Virgílio e o Geraldo Alckimin. Acredito que o Alckimin tem um perfil mais conciliador, exatamente em um momento em que o Brasil está muito esgaçado, polarizado, as forças estão muito divididas, o dialogo parece não ser um instrumento da politica e na sociedade”. 

Ainda de acordo com o prefeito, Alckmin tem o perfil para ser o candidato do PSDB. “É nosso candidato sim, tem perfil mais de somar, de buscar consensos, de acalmar os mais radicais e buscar uma saída mais democrática e negociada para as crises”. 

 

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir