Cidadeverde.com
Geral

Policiais vão usar fita preta em apoio aos grevistas de SP

Imprimir

A Confederação Brasileira de Policiais Civis (Cobrapol) está convocando policiais civis de todo o Brasil, inclusive do Piauí, a trabalhar na próxima segunda-feira (27/10) utilizando uma faixa no braço, de cor preta, em apoio à greve da categoria no Estado de São Paulo.

O presidente da entidade Jânio Gandra, ligou hoje (24/10) para o diretor jurídico da entidade e presidente do Sinpoljuspi (Sindicato dos Policiais Civis, Penitenciários e Servidores da Secretaria de Justiça e dos Direitos Humanos do Estado do Piauí), Jacinto Teles, solicitando a participação do Piauí na manifestação simbólica.
 

“Na próxima segunda-feira pela manhã, o SINPOLJUSPI vai percorrer as delegacias de policia para que, a partir do meio-dia, os policiais civis estejam usando as faixas”, conta Jacinto Teles. A hora escolhida (12h) é porque nesse horário vai estar começando, na praça da Sé, em São Paulo, uma manifestação dos policiais civis daquele estado.

O SINPOLJUSPI disse que, no Piauí, o protesto será também contra a demora do Governo Federal em regularizar a questão da aposentadoria especial dos policiais civis e agentes penitenciários e a retirada do adicional noturno e extraordinário do contracheque das categorias, quando entram de férias ou de licença-maternidade ou médica.
 

O projeto de lei que regulamenta a aposentadoria especial dos policiais civis e penitenciários está no Congresso desde 2003 e somente nesse semestre deve ir para votação no plenário do Senado Federal. “Os trabalhadores da segurança pública trabalham sob risco de integridade física, mas não tem direito de aposentar-se mais cedo. Vários profissionais já chegaram aos 30 anos de carreira e estão sendo prejudicados porque o governo ainda não regulamentou o Artigo 40, § 4º, artigos II e III da Constituição Federal”, reclamou o presidente do SINPOLJUSPI.

Com relação ao adicional noturno e extraordinário, o TJ já determinou que, mesmo quando os policiais civis e penitenciários plantonistas tiram férias, devem receber as gratificações. No entanto, até o momento o governo não cumpriu a decisão.
 

 
Jacinto Teles foi um dos diretores da Cobrapol que fez parte da comissão que tentou, na última terça-feira (21/10) um acordo com o Governo de São Paulo para encerrar a greve dos policiais civis daquele estado. A comissão foi recebida pelo secretário de Governo paulista, Eduardo Poyares, mas a contraproposta do governo, irrisória, não agradou os grevistas.

O projeto do governo prevê reajustes de 6,5% em 2009 e mais 6,5% em 2010. Os policiais civis reivindicam 15% este ano, 12% em 2009 e 12% em 2010.

 
“É um absurdo a maneira como o governo José Serra trata os profissionais da segurança pública daquele estado. O salário pago aos policiais é o mais baixo do Brasil, o que é uma contradição, já que é o Estado mais rico”, criticou Jacinto Teles Coutinho, que deverá voltar a São Paulo na próxima semana, desta vez para uma reunião com o próprio governador do Estado, José Serra, para novas negociações.


Da Redação
Tags:
Imprimir