Cidadeverde.com
Geral

Cidadeverde.com flagra tentativa do golpe de falso sequestro por telefone

Imprimir

O Cidadeverde.com flagrou na manhã deste sábado (17), a ação de bandidos tentando aplicar no Piauí o famoso golpe do sequestro por telefone. A prática é corriqueira, mas ainda faz dezenas de vítimas em vários estados. A ligação geralmente ocorre de presídios do Ceará e sempre de um número privado.

Ao atender o telefone, a vítima se depara logo com a voz de uma adolescente pedindo socorro e dizendo que foi sequestrada. A jovem já chama de imediato a pessoa que está na linha de pai, relatando estar em poder de homens armados. Em seguida o bandido assume a conversa e inicia a tentativa de extorsão.

Primeiro ele pergunta se a vítima está disposta a pagar pela vida da filha e pede R$ 30 mil. Ao receber uma resposta negativa, questiona quanto pode ser disponibilizado para ter a garota de volta em casa. O valor cai para R$ 5 mil. Logo em seguida o falso sequestrador pergunta em qual banco está o dinheiro, o modelo de carro que a pessoa que está no outro da linha usa e exige que ele vá à agência bancária sem desligar o telefone.

Durante a ligação, o falso sequestrador pede provas para a pessoa de que ela realmente está no carro e exige até que a buzina seja acionada. Para o bandido, é importante que a vítima esteja sozinha e não fale a ninguém sobre a conversa.

Polícia orienta manter a calma

Como as ligações são aleatórias, qualquer pessoa pode ser vítima dos falsos sequestros. Por isso, segundo o delegado Lucy Keiko, atual gerente de Polícia Metropolitana, é importante que as pessoas mantenham a calma e não forneçam dados para os bandidos.

“Geralmente eles ligam de número confidencial ou de DDD de outros estados. A pessoa que recebe a ligação fica nervosa e termina passando informações para o falso sequestrador. Apesar da pressão psicológica intensa, é ter a noção de que quase na totalidade dos casos ninguém está sequestrado. Tentar manter a calma e que alguém mantenha contato com a pessoa que se diz que está sequestrada. A pessoa deve evitar fornecer dados, pois logo se percebe que é golpe”, orienta.


Delegado Lucy Keiko

Outra atitude importante que as vítimas devem ter é comunicar a prática criminosa à polícia. A pena pelo crime de extorsão varia de  4 a 10 anos de cadeia.

“Mesmo que a pessoa não caia, é bom se dirigir à polícia, pois ela tem meios para identificar de onde partiu a ligação. Manter a calma é a principal dica, e depois procurar as autoridades”, alerta.

No início de fevereiro, uma idosa de 77 anos ficou desaparecida por cinco horas em Teresina após ser vítima do golpe. Ela chegou a realizar a transferência de uma grande quantia em dinheiro e só foi localizada quando voltou ao banco para fazer um segundo depósito, mas foi reconhecida por funcionários. A família usou as redes sociais para tentar informações sobre seu paradeiro.

Hérlon Moraes
redacao@cidadeverde.com

Imprimir