Cidadeverde.com
Política

Investigado no STF, Michel Temer visita Cármen Lúcia

Imprimir

Foto: Reprodução Jornal Nacional

O presidente Michel Temer se reuniu, neste sábado (10), com a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia. O encontro aconteceu dois dias depois de o presidente ter encaminhado uma carta para a procuradora-geral da República com pareceres contrários à inclusão do nome dele no inquérito que apura se houve repasses ilegais da Odebrecht para o MDB.

O pedido partiu do presidente Temer. Durante a semana, por telefone, ele acertou o encontro, que não estava na agenda oficial. Os dois se reuniram na casa da presidente do Supremo, em Brasília.

Na saída, em rápida conversa com jornalistas, o presidente disse que conversaram sobre a segurança pública no país e a intervenção federal no Rio de Janeiro. Temer afirmou que a ministra Cármen Lúcia dará enorme contribuição na discussão com o recém-criado Ministério da Segurança Pública.

Assessores do presidente afirmam que Temer quer uma reaproximação com a ministra Cármen Lúcia no momento em que ele enfrenta desgastes na corte.

O encontro deste sábado (10) ocorre na mesma semana em que o ministro Luís Roberto Barroso autorizou a quebra de sigilo bancário do presidente no inquérito dos portos. Também nesta semana, Temer encaminhou uma carta à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, com argumentos contrários à inclusão dele no inquérito da Odebrecht, que apura se houve propina da construtora na Secretaria de Aviação Civil. A inclusão do nome de Temer foi pedida por Raquel Dodge e acolhida pelo ministro Edson Fachin, do STF.

Indagado neste sábado, após o encontro com Cármen Lúcia, se ele havia abordado o inquérito da Odebrecht com a ministra, Temer negou: “Não. Só sobre segurança do Rio de Janeiro e do Brasil”.

 

Fonte: Jornal Nacional

Imprimir