Cidadeverde.com
Política

Novo diz que fim das coligações pode ser “caos” para alguns partidos

Imprimir

O secretário de Cultura, deputado Fábio Novo (PT), deve se afastar em abril do cargo para retornar à Assembleia Legislativa do Estado e concorrer à reeleição. Na disputa por cadeiras no Legislativo Estadual, ele defende que o PT sai com chapa pura e afirma que os partidos devem se prepara para a eleição de 2020, quando acabam as coligações. 

Em entrevista ao Portal Cidade Verde, ele afirma que se as siglas não filiarem lideranças, a eleição de 2020 poderá ser um “caos”. “Precisamos começar a preparar os partido para as chapas puras porque essa é a última eleição que poderemos fazer coligação. A partir da próxima já não existe mais coligação. 
Isso quer dizer que os partidos terão que se organizar, filiar lideranças e se fortalecer internamente para que possam sair e disputar as vagas sozinhos. Essa é uma parte da reforma política que foi aprovada, mas que só entra em vigor para a próxima eleição”, afirmou.

 Fábio afirma que chapa pura deve ser o melhor caminho para o PT. Ele lembra que no pleito de 2014 o partido saiu prejudicado por fazer uma coligação que colocou a sigla em desvantagem.  “Em cada eleição é preciso fazer uma conta. Na eleição passada o PT teve 318 mil votos para deputado estadual. Se o partido tivesse saindo sozinho teria mantido as suas cinco vagas na Assembleia Legislativa. Naquela eleição saímos coligado e fizemos votos suficientes para eleger os cinco deputados, mas como estávamos em coligação que elegeu noves deputados terminou que apenas três do PT ficaram entre os noves mais votados para compor esse bolo”, disse.

A proposta de chapa pura petista tem provocado reações entre as legendas que integram a base do governador Wellington Dias (PT). “Todo partido tem o desejo de crescer. Então sou de um partido e  sou uma parte e obviamente tenho que defender os interesses do meu partido. Estamos conversando com os nossos filiados e dirigentes e cada partido tem que defender a melhor estratégia e conquistar mais espaços. Se for mais importante para o PT sair com chapa pura vou defender essa tese”, afirma.

Lídia Brito
redação@cidadeverde.com

Imprimir