Cidadeverde.com
Política

Assis critica partidos que levam problemas para Wellington resolver

Imprimir

O presidente estadual do PT, deputado federal Assis Carvalho, criticou os partidos da base aliada que segundo ele, querem colocar no “colo” do governador a resolução de problemas na composição da chapa proporcional. Segundo o petista, Wellington tem problemas mais importantes para tratar.

Para Assis, os partidos da base devem  resolver essa questão sem envolver Wellington. A conversa com o governador, sobre o tema, deveria ocorrer apenas no período de convenções que vai do final de julho a agosto.

Incomodado com a posição de alguns partidos, Assis chega a aconselhar os aliados. A crítica à ideia do PT de sair em chapa pura tem partido de siglas como MDB e Progressistas.

“Os partidos não deveriam colocar isso no colo do governador. Ele tem outras coisas para cuidar. É uma indelicadeza. O PT evita que isso aconteça. Vamos tratar com o governador na hora oportuna próxima das convenções. Quero aconselhar que não façam para que o governador tenha mais tempo de cuidar dos espaços”, disse.

Ele afirma que cada legenda deve ter liberdade para traçar suas estratégias. “Wellington tem problemas demais. Como a segurança e o golpe de 2016 que traz tantos prejuízos para o Piauí. Acho que os partidos devem reunir os diretórios e tomar as decisões para montar as estratégias. Não é bom envolver o governador no momento de crise. Isso diz respeito aos partidos”, afirmou. 

O PT se manifestou contra as coligações proporcionais e votou pelo fim dessa prática durante a votação da reforma política. “O PT tem essa tradição já no nascedouro. Se olharmos o manifesto de 1980 sempre criticamos as anomalias políticas como as coligações. Queremos acabar com essa anomalia para 2020. Mas ela ainda acontece em 2018, mas não é uma obrigatoriedade. É uma decisão entre as partes. E nesse sentido o PT já exercitando aquilo que defendemos desde o nascimento. Vamos exercitar já agora em 2018”, destacou. 

Lídia Brito
redação@cidadeverde.com

Imprimir