Cidadeverde.com
Geral

DF: jornalista é agredido e preso por desacato

Imprimir

Foto: Reprodução

Um jornalista foi imobilizado, agredido e preso por soldados do Exército na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, no começo da tarde desta segunda-feira (19). Segundo colegas Carlos Henrique Melo Ferreira, de 32 anos, estava indo trabalhar no prédio do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele é repórter cinematográfico da TV Justiça.

Testemunhas que presenciaram a agressão disseram que o jornalista usava o crachá do trabalho e se identificou. Mas foi barrado pelos militares. Nas imagens (vídeo acima), é possível ver que ele é empurrado para o chão e depois revistado.

O vídeo mostra também o momento em que seguranças tentam impedir a filmagem enviada ao G1. O autor reage, se identifica como jornalista e continua a registrar a ação. Alguns homens, de terno e gravata, chegam a colocar a mão em frente à lente.

O G1 entrou em contato com o Exército e aguarda resposta sobre o episódio. Ferreira foi levado para a 5ª Delegacia de Polícia, no Plano Piloto, onde foi registrado um boletim de ocorrência contra o jornalista por desobediência e resistência.

Ele foi ouvido e depois encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito. Ferreira, que vai responder em liberdade, entregou cópia dos vídeos para a Polícia Civil que irá analisar as imagens. À polícia, o jornalista repetiu que não cometeu desacato.

'Estava atrasado'

Carlos Henrique Melo Ferreira disse ao G1 que mora na região de Ceilândia e vai até a Esplanada dos Ministérios de ônibus, todos os dias, para trabalhar no prédio do STF, que fica atrás do Itamaraty.

Nesta segunda-feira, ao perceber que a via estava bloqueada, e o trânsito congestionado, decidiu descer do ônibus e seguir a pé. Ao chegar perto do Palácio do Itamaraty, o jornalista disse que foi abordado por dois policiais do exército.

"Eu estava um pouco atrasado, mostrei o crachá, me identifiquei."

Segundo Ferreira, os militares disseram que ele não poderia passar pelo prédio do Itamaraty e teria que fazer uma volta pelo Ministério da Saúde para chegar ao STF. A partir de então, começou o conflito. O jornalista contou que ficou imobilizado, no chão, por 10 minutos.

Área isolada

A região, próxima ao Palácio do Itamaraty, foi bloqueada na manhã desta segunda-feira para a abertura do Fórum Mundial da Água. Além do pelo presidente Michel Temer, outros chefes de Estado compareceram à cerimônia.

Fonte: G1

Imprimir