Cidadeverde.com
Cidades

Ministério Público pede interdição imediata da Delegacia de Barras

Imprimir
  • 1485c6bb-854e-4cba-a673-067cce67968f.jpg Divulgação/ MPPI
  • 820d35e3-7321-42a8-838e-dc07a4275a06.jpg Divulgação/ MPPI
  • aad70837-84da-4d01-81fd-c5267da4ac8c.jpg Divulgação/ MPPI
  • 2b5b4a61-8da3-4abb-bf2a-c17f0d6f5421.jpg Divulgação/ MPPI
  • 0ec44302-3eec-4656-b8ed-5f762489df1c.jpg Divulgação/ MPPI
  • 6db547a8-e52f-4049-824d-bd7f693ec974.jpg Divulgação/ MPPI
  • 089aca91-d156-45e6-9d0c-362f3e06444b.jpg Divulgação/ MPPI
  • 009fb0ab-6bba-4010-abaa-42bb500d8dda.jpg Divulgação/ MPPI
  • 819b4e2e-ce13-4590-9b4c-b722b3b85118.jpg Divulgação/ MPPI
  • 4c9eca2a-1425-447f-a862-028e403dea08.jpg Divulgação/ MPPI

O Ministério Público do Piauí ingressou com ação civil pública contra o Estado para interditar a Delegacia de Barras. O Estado do Piauí terá 72 horas a partir da decisão judicial para apresentar uma justificativa e realizar melhorias necessárias.  

"Detectamos várias irregularidades não só na estrutura física, mas na estrutura sanitária e hidráulica da delegacia. Estão sem servidores e não tem uma estrutura mínima para poder prestar um serviço de qualidade. Diante disso a é necessário firmar um ajustamento com o Estado", explica o promotor Glécio Satúbal.

A ação pede ainda que todos os presos sejam enviados para presídios pois, segundo promotor,  as celas não possuem a menor condição de receber um ser humano. "Não possuem banheiro e nem local adequado. A delegacia está sem escrivão e há uma deficiência de efetivo policial. As instalações hidráulica e elétrica estão em péssimas condições e o Estado vem se omitindo em tomar providências”, comenta.

O delegado geral de Polícia Civil, Riedel Batista esteve na delegacia na manhã desta terça-feira (20) acompanhado do promotor onde durante vistoria foi constatada a necessidade da reforma, ou ampliação da delegacia.  O promotor acredita que ao ser deferida a liminar que obriga a adoção de medidas o Estado apresente uma solução para o problema. 

Segundo o delegado, os serviços administrativos e de investigação da delegacia devem ser deslocados para outro ponto da cidade e os presos devem ser transferidos para penitenciárias.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Imprimir