Cidadeverde.com
Geral

Campanha nacional de vacinação contra a gripe começa nesta segunda (23)

Imprimir


Vacinação contra a gripe (Foto: Marcello Casal Jr/Arquivo Agência Brasil)

A 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza começa amanhã (23) e segue até 1º de junho. Fazem parte do grupo prioritário da vacina idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem se imunizar. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos de saúde em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

De acordo com o Ministério da Saúde, os grupos prioritários totalizam 54,4 milhões de pessoas. A pasta informou que adquiriu 60 milhões de doses, que serão entregues aos estados em etapas. “O Ministério da Saúde está assegurando vacina para 100% do público-alvo da campanha”, acrescentou, em nota.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A definição, segundo o governo brasileiro, também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados, portanto, grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Teresina

De acordo com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), 190 mil pessoas deverão ser vacinadas contra a influenza, também conhecida como gripe, em Teresina. As doses estão disponíveis em todas as 104 salas de vacina do município.

“Já recebemos 42 mil doses de vacina e vamos receber mais na próxima semana”, informa a diretora de Vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Amariles Borba.

A FMS alerta toda a população que esteja dentro do público alvo para que não deixe de se imunizar, pois são pessoas mais suscetíveis a complicações que levam à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). “A vacina reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos”, diz.

 

Fonte: Agência Brasil  e FMS

Imprimir