Cidadeverde.com
Geral

Sem combustível, aeroporto opera com restrição e companhias cancelam taxas

Imprimir

Foto: Divulgação/Infraero

As companhias aéreas Latam e Azul anunciaram o cancelamento da cobrança de taxas, multas e diferenças tarifárias para remarcação de voos saindo do aeroporto de Teresina. A medida é provocada pelas restrições no abastecimento de aeronaves.

A Latam informou que nenhum voo foi afetado. Para quem tem viagens marcadas saindo de Brasília, Goiânia, Ilhéus, Recife e Teresina, aeroportos com maior risco de desabastecimento, as remarcações não serão cobradas para alterações ao longo desta quinta-feira (24).  O telefone para remarcar é o 4002-5700 nas capitais ou 0300-570- 5700 nas demais localidades do Brasil.

A Azul anunciou o cancelamento de 15 voos no Brasil, até o momento, mas a companhia já disponibiliza a remarcação de bilhetes sem custo para clientes com voos programados até o dia 31 de maio. Os que desejarem optar por datas alternativas à sua programação podem remarcar pela central de atendimento, nos telefones 4003-1118 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800-887-1118 (demais localidades).

Já segundo a Gol Linhas Aéreas, a programação de todos os voos desta quinta-feira (24), está mantida. A empresa recomenda a seus clientes que tenham voos previstos para esta quinta-feira ou amanhã, sexta-feira que verifiquem a situação dos voos antes de se deslocarem aos aeroportos.

Infraero

O aeroporto Senador Petrônio Portela, em Teresina, tem combustível apenas até esta sexta-feira (25). Caso não seja reabastecido, em razão da mobilização dos caminhoneiros, existe o risco de que o aeroporto feche para pousos e decolagens. A informação consta do relatório do Núcleo de Acompanhamento e Gestão Operacional (Nago) divulgado nesta quarta-feira (23), em Brasília.

A Infraero não especifica quais são os aeroportos de sua rede que podem estar sofrendo risco de desabastecimento e em qual prazo. A estatal orienta que os passageiros verifiquem a situação dos voos no site da Infraero, onde não estão detalhados os motivos específicos de eventuais atrasos, como condições climáticas, falta de querosene de aviação ou outros fatores.

Em nota, a Infraero diz que está "monitorando o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais e já alertou as operadoras de aeronaves que avaliem seus planejamentos de voos para que cada um possa definir sua melhor estratégia de abastecimento de acordo com o estoque disponível na origem e destino do voo".

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Imprimir