Cidadeverde.com
Esporte

Estão avacalhando o Hino Nacional nos estádios

Imprimir
Algum político teve a iniciativa de criação de uma lei tornando obrigatória a execução do Hino Nacional antes de todas as competições esportivas no Estado de São Paulo. Foi o suficiente para outros imitarem a tal lei em vários outros pontos do Brasil. Logo nos primeiros dias comentamos que não a novidade não seria bem aceita. Logo os torcedores estariam até vaiando o nosso Hino. A execução do Hino Nacional e hasteamento de bandeiras são bem recebidas em ocasiões especiais. Em jogos de grande importância, em decisões, em abertura de eventos de maior repercussão, em disputas internacionais, mas em todo jogo é um exagero. Os jogadores e os torcedores não estão mais prestando atenção e a grande maioria não tem o mínimo respeito pelo Hino. Permanecem sentados nas arquibancadas e vários times só entram em campo com atraso. Já tivemos Estado onde o Hino Nacional é executado sem times em campo.
 

A lei é politiqueira. Agora a rádio Jovem Pan de São Paulo faz uma campanha para que haja respeito para com o Hino Nacional nos estádios de futebol, mas os esportistas ouvidos diariamente,inclusive Pelé, técnicos, jogadores e dirigentes se manifestam pela revogação da lei, considerando que deveria ser mantida a tradição de solenidades apenas em ocasiões especiais. A própria rádio Jovem Pan afirma que 'estão avacalhando o Hino Nacional nos Estádios de Futebol. E assim um dos símbolos nacionais é usado por politiqueiros que querem aparecer de qualquer maneira.O lugar mais adequado para esse tipo de "patriotismo" é nas escolas.


FUTEBOL FEMININO

O futebol feminino está despertando o interesse dos torcedores em todo o Brasil, mas a CBF ainda não conseguiu patrocinador de peso para os jogos da Copa do Brasil e nem um canal de TV para a transmissão dos jogos. Aqui em Teresina os torcedores compareceram ao Estádio Lindolfo Monteiro em grande número para a partida Tiradentes 6 x 4 Caucaia e não será diferente na terça-feira quando a equipe piauiense receberá o Sporte Clube Recife. E qualquer clube brasileiro enfrenta dificuldades financeiras para implantar um regime profissional no futebol feminino, mas a luta deve continuar e especialmente pelas mulheres que praticam e formam diretorias nos departamentos especializados de algumas agremiações.

CRISE NO FUTEBOL

O presidente da Federação Inglesa, Lord Triesman, declarou-se preocupado com a possibilidade de um colapso dos clubes de futebol de seu país por causa da crise conômica mundial, cuja dívida somada beira os 6 bilhões de dólares. O dirigente defende que haja uma adptação dos salários das estrelas dos clubes à nova realidade.

Aqui no Brasil nossos principais clubes estão mergulhados em dívidas enormes, mas insistem em pagar salários astronômicos para jogadores, completamente fora da realidade nacional. O mesmo acontece em relação a técnicos. E não me venham com a desculpa de que "temos que segurar nossos astros". Não tem que segurar coisa nenhuma sacrificando ainda mais o clube. Surgiu proposta vantajosa vende que outros craques vão ser revelados.
 
 
Dídimo de Castro
Tags:
Imprimir