Cidadeverde.com
Geral

Sesapi cria comissão para monitorar funcionamento da Evangelina Rosa

Imprimir

Após a recente denúncia do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) e do Ministério Público do Piauí, a Secretaria de Estado da Saúde adotou medidas para sanar os problemas na Maternidade Dona Evangelina Rosa. O CRM cogita a interdição ética de setores da maternidade, como forma de garantir o atendimento às parturientes. Em vistoria no hospital nesta quinta-feira (14), o secretário de saúde, Florentino Neto, estabeleceu uma comissão de controle e gestão da maternidade com participação do CRM-PI, secretaria, gestão da maternidade e corpo funcional do hospital. Além disso, o gestor informou que as obras de reforma no centro cirúrgico estão em andamento e devem ser finalizadas até este final de semana.

“A obra já está acontecendo. Quando o CRM esteve lá a obra já estava acontecendo. É pontual no piso do centro cirúrgico e deve estar sendo finalizado até o final dessa semana”, garantiu o secretário.

O CRM-PI e o Ministério Público, constaram falta de medicamentos, além de falta de insumos básicos para o tratamento das mães e bebês que estavam na maternidade. 

Florentino informou ao CidadeVerde.com que na manhã desta quinta os suprimentos estavam regulares e a falta de medicamentos foi suprida, exceto alguns que estão em falta no mercado. A solução está sendo a substituição dos remédios sob avaliação de uma equipe técnica.

A partir de hoje o estoque será avaliado dia a dia e uma comissão da Sesapi ficará de forma permanente na maternidade.

“A avaliação hoje da direção é que a maternidade estava com normalidade de suprimentos, mas estamos avaliando isso dia a dia. Nós temos uma comissão da secretaria que eu deixei lá, dia a dia todos os dias eu recebo um relatório dessa situação do abastecimento”, explicou. 

A Comissão de Controle e Gestão irá realizar reuniões mensais para avaliar os pontos fundamentais da maternidade, como estoque de remédios, estrutura física e outros itens.

O Conselho Regional de Medicina irá levar a possibilidade de interdição para a categoria decidir em assembleia. A Sesapi espera, com as medidas informadas pelo secretário, evitar a interdição ética e garantir a realização de cirurgia e outros procedimentos.

Rodrigo Antunes
redacao@cidadeverde.com

Imprimir