Cidadeverde.com
Geral

Concurso da Polícia Civil do Piauí para perito teve abstenção de quase 30%

Imprimir

O concurso da Polícia Civil do Piauí, para os cargos de perito médico legista e perito criminal, transcorreu sem intercorrências, de acordo com o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco). Ao todo, 4.944 candidatos se inscreveram no certame e cerca de 1.400 não compareceram aos locais de aplicação de provas, o que equivale a quase 30% dos inscritos. 

"Não tivemos flagrante de candidato com celular ou com 'cola' da prova. Não houve nenhuma alteração. Acredito que isso seja resultado dos trabalhos preventivos, das operações realizadas. Acompanhamos o concurso desde o início com um forte esquema de segurança", disse a delegada Alexandra Santos, que comandou a operação contra fraude no certame. 

Policiais do Greco e de delegacias especializadas, policiais militares e do Núcleo de Inteligência reforçaram o esquema de segurança para evitar fraudes durante a aplicação das provas que ocorreu neste domingo (01). 

A primeira etapa do concurso, de provas escritas objetiva e dissertativa, com caráter classificatório e eliminatório, convocará candidatos em número de três vezes o total de vagas disponibilizadas e mais os que ficarem empatados na última colocação.

As próximas fases serão o exame de saúde e a investigação social. Foram ofertadas 50 vagas cadastro reserva para o cargo de perito. 

O concurso foi realizado em quatro centros de aplicação, em Teresina. Na semana passada foi divulgado a lista de classificados para os cargos de agente e delegado. 

 

Concorrência e tema da redação

De acordo com o Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe), a concorrência dentre as 15 especialidades do cargo, teve como a mais disputada na ampla concorrência o de perito criminal especialista em Contabilidade, com 241 candidatos por vaga. Na concorrência para pessoa com deficiência, o cargo de perito médico legista foi o mais procurado, com 10 candidatos por vaga.  

A prova escrita dissertativa-redação teve como tema: A INFORMAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA: quantidade significa qualidade?

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir