Cidadeverde.com
Política

R.Silva diz não votar em Wellington Dias e fala em possibilidade de deixar o partido

Imprimir

O apoio do Progressistas  ao governador Wellington Dias  (PT) não está 100% fechado. Há dissidências dentro da legenda. O vereador R. Silva afirma que não vota em Wellington.

Ele chegou a participar de reunião em apoio ao pré-candidato do PSDB pela oposição, Luciano Nunes. O presidente do Progressista no Piauí, deputado Júlio Arcoverde, diz que vai chamar o vereador para uma conversa. R. Silva diz não aceitar pressão.

"Me coloco à disposição de conversar com o partido. Sempre coloquei o partido à vontade para coligar com quem quiser e fazer essa coligação. Como também sempre deixei o partido à vontade para votar da maneira que achar melhor. Não vou aceitar interferência do partido nas minhas decisões políticas", disse R.Silva. 

Para o vereador, o governador não cumpriu as promessas de campanha. "O governador Wellington Dias na época da campanha assumiu um compromisso com a Polícia Militar de contratar mais policiais, dobrar o efetivo no final do Governo dele. Não cumpriu nada.  Eu sou militar e quando deixar a política continuo na Polícia. Jamais votarei em um governador que  assumiu um compromisso e não honrou", afirmou. 

R. Silva não descarta sair do Progressistas caso o partido tente obrigá-lo a votar em Wellington Dias. "O partido nunca interferiu e acredito que não irá interferir. Em caso de interferência tenho disponível no Brasil 32 partidos que posso migrar. O partido tomou as decisões e não estou ameaçando. Eu voto nos candidatos do partido, mesmo no governador não tem conversa", declarou.

A posição do vereador criou um mal-estar no partido. O presidente nacional Ciro Nogueira deve reunir a legenda para evitar declarações contrárias à Wellington.

 

Lídia Brito
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir