Cidadeverde.com
Esporte

Em 6h36, Anderson bate Isner chega à 1ª final em Wimbledon

Imprimir

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) 

Em um jogo de muito equilíbrio e força nos saques na quadra central, Kevin Anderson superou John Isner, nesta sexta-feira (13), e chega à final do torneio de Wimbledon pela primeira vez. O sul-africano venceu o rival por 3 sets a 2, parciais de 7/6 (6), 6/7 (5), 6/7 (9), 6/4 e 26/24, depois de 6h36 de partida -a segunda mais longa da história na grama sagrada.

Ambos os tenistas lutavam para chegar à final do Grand Slam Britânico pela primeira vez. Anderson, credenciado à decisão, espera, agora, pelo vencedor do duelo entre Rafael Nadal e Novak Djokovic.

Este é o terceiro jogo mais demorado da história do tênis. Isner é dono do mais longo, justamente em Wimbledon. Como o último set não tem tie-break, a partida contra o francês Nicolas Mahut, pela primeira rodada do torneio de 2010, começou no dia 22 e terminou somente no dia 24 de junho e precisou ser interrompida duas vezes: uma por falta de luz natural, outra por decisão da arbitragem, preocupada com o desgaste.

Na ocasião, os tenistas disputaram 980 pontos em 183 games, em 11 horas e 5 minutos, com o quinto set (e a batalha) vencido pelo norte-americano por 70/68.

Com os dois atletas confirmando seus saques, Kevin Anderson conseguiu a primeira quebra de serviço do confronto já no terceiro set, mas viu o rival americano devolvê-la no game seguinte, o que gerou novo tie-break -antes, um set para cada lado fechado também no tie-break. Ao todo, o duelo teve apenas seis quebras de serviço.

O mesmo aconteceria no quarto set, não fosse o sul-africano demonstrar equilíbrio emocional. Quando Anderson quebrou um serviço, mas desperdiçou o saque e a oportunidade de ficar em vantagem, recuperou-se para derrubar o poderoso saque de Isner novamente. No quinto e extenso último set, o equilíbrio foi vencido pelo cansaço, com o sul-africano levando a melhor após 50 games.

Imprimir