Cidadeverde.com
Economia

Gasolina cai nas refinarias e sindicato admite possibilidade de queda nos preços

Imprimir


Foto: Rodrigo Carvalho/O Povo

O anúncio da Petrobrás de uma série de reduções no preço da gasolina tem animado condutores de vários estados. As reduções possibilitaram os donos de postos de combustíveis reduzirem o valor do combustível, que em alguns estabelecimentos em Brasília, por exemplo, são encontrados ao preço de R$ 4,16 o litro.

No Piauí existe a possibilidade de redução dos preços nas bombas, admite o presidente do Sindicato dos Donos de Postos de Combustíveis, Alexandre Cavalcante. Se houver uma série de reduções no preço da gasolina nas refinarias a tendência é que os postos acompanhem essa redução.

“Pode haver sim a redução. Em uns postos mais rápido, outros mais devagar. Mas é óbvio que reduzindo nas refinarias esse valor reflete nas bombas”, disse Alexandre.

O grande entrave para a redução dos preços ainda é a carga tributária estabelecida pelo Governo Estadual. Logo após a greve dos caminhoneiros, o tema chegou a ser debatido e donos de postos solicitaram ao governo a redução do ICMS. Pedido negado de pronto pela gestão do Estado.

“Não dá pra comparar preços de estado A com estado B não. O Piauí tem a maior alíquota do país, é o estado que tem mais ICMS do Brasil. Então não se pode comparar, por exemplo, o Maranhão com o Piauí, porque a gente paga muito mais impostos do que eles”, explica Alexandre Cavalcante.

Os recentes preços nas refinarias foram os menores valores desde o fim da greve dos caminhoneiros. Apesar disso, os valores ainda se mostram altos na compra direta com as refinarias. Em uma comparação com o final de junho a gasolina subiu 0,64%. No acumulado de 2018, a variação é de 15,92% (R$ 0,2694). O único valor que se manteve congelado foi do diesel, que está em R$ 2,0316 nas refinarias desde o dia 1° de junho.

 

Rodrigo Antunes
redacao@cidadeverde.com

Imprimir