Cidadeverde.com
Geral

Decretada prisão preventiva do acusado de matar estudante na Copa de 2014

Imprimir

A prisão preventiva de Erlândio Miranda Coelho, acusado de assassinar um estudante de engenharia na Copa de 2014, foi decretada pelo juiz Antônio Noleto, titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri. Nesta sexta-feira (10), o chefe da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP-PI), Francisco Baretta, informou que a decisão manterá Erlândio preso na Penitenciária Mista de Parnaíba até que ele vá a julgamento.

O estudante Ruan Pedreira foi morto com um tiro na comemoração de um jogo da seleção brasileira. O crime aconteceu em uma bar na Avenida Maranhão, próximo a Ponte da Tabuleta, zona Sul da capital. De acordo com a Polícia Civil, no dia do crime, Erlândio estava dentro do bar e após ser expulso efetuou vários disparos com pistola 380, dos quais um atingiu a cabeça de Ruan, que passava pelo local. A investigação policial comprovou que a vítima foi morta por engano e que o alvo era um segurança.

Erlândio está preso desde o dia 6 de agosto. De acordo com Baretta, a substituição da prisão temporária foi pedida pela Polícia Civil, por não haver dúvidas que Erlândio assassinou Ruan. O acusado foi denunciado pelo Ministério Público e passa a condição de acusado não só pelo homicídio, mas também por duas tentativas de assassinato contra os seguranças do estabelecimento.

“Diante dos fortes indícios da materialidade dos crimes toda provada de toda cartorária e de campo, o Ministério Público além de se manifestar pelo deferimento da conversão da prisão temporária em preventiva, já denunciou ele e já remeteu para o poder judiciário. No caso o juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, o Dr. Noleto, que já expediu o mandato que vai ser cumprido pelo delegado Danúbio na penitenciaria mista de Parnaíba”, explicou Baretta.

Segundo a apuração, Erlândio foi o autor do disparo que acertou a cabeça do estudante de engenharia. Ele fugiu durante quatro anos, até ser pego com uma Carteira de Habilitação falsa em uma barreira da Polícia Rodoviária Federal, na BR 343, no mês passado. O acusado permanecerá na Penitenciária em Parnaíba por tempo indeterminado. 

“Está mais do que provado que a liberdade desse indivíduo tem que ser cerceada, e que ele pague pelo crime que cometeu, porque se ele receber qualquer benesse da lei, evidentemente que não vamos mais vê-lo sentado no banco dos réus do Tribunal do Júri, porque eu tenho certeza que pelos indícios que vão ser transformados em prova, s na instrução criminal, ele vai ser pronunciado e vai para o tribunal popular do júri”, finalizou o delegado.

Suspeito foi preso após ser flagrado pela PRF com uma CNH falsa Foto: PC-PI
 

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir