Cidadeverde.com
Esporte

São Paulo bate Vasco e fica perto do hexa

Imprimir
Uma vitória. É o que falta para o São Paulo comemorar o hexacampeonato brasileiro. Em um domingo perfeito, o time de Muricy Ramalho encarou a pressão de São Januário, bateu o desesperado Vasco por 2 a 1 e ainda contou com um tropeço do Grêmio para se aproximar do seu sexto título brasileiro, o terceiro consecutivo.

 
Com gols de Jorge Wagner e Hugo, o São Paulo fez sua parte e ainda deu sorte com o resultado do Grêmio, seu maior concorrente. A duas rodadas do fim, a equipe paulista lidera com 71 pontos e amplia para cinco pontos a vantagem para o Grêmio, que perdeu por 4 a 2 para o Vitória.

Assim, basta ao time tricolor ganhar do Fluminense às 16h do próximo domingo, no Morumbi, para festejar mais um troféu nacional, sem depender de ninguém. Mas até um empate basta ao São Paulo caso o Grêmio não passe pelo Ipatinga, em Minas, no mesmo horário.

No discurso, contudo, o atual bicampeão brasileiro ainda é contido. "Precisamos ter os pés no chão, [o título] ainda não aconteceu e temos uma pedreira contra o Fluminense. Se fizermos a coisa correta vamos merecer", alertou Muricy Ramalho.

Já o Vasco vê seu drama crescer. A equipe de Renato Gaúcho permanece com 37 pontos, na 18ª colocação. O próximo compromisso dos cariocas será contra o Coritiba, no próximo domingo, no Couto Pereira. Se não vencer, pode até cair na próxima rodada, dependendo dos resultados de seus concorrentes.

O jogo decisivo deste domingo começou após reclamações das duas partes. O presidente vascaíno, Roberto Dinamite, acusou o São Paulo de ter arrombado cadeado para aquecer no gramado. Os visitantes também protestaram, dizendo que seu ônibus teve uma janela quebrada na chegada a São Januário.

Com a bola rolando, o Vasco fez exatamente o que Leandro Amaral resumiu instantes antes do apito inicial. "Desde o início temos que marcar forte e não deixar o São Paulo jogar. A pressão tem que ser total", disse o atacante vascaíno. O time carioca, então, tentou sufocar a saída tricolor e até conseguiu ter maior domínio na bola.

No entanto, as melhores chances foram do São Paulo, depois dos dez minutos. Rafael fez duas importantes defesas, em chutes de Hernanes e do companheiro Wagner Diniz, mas não conseguiu parar a bela cobrança de falta de Jorge Wagner. Aos 21min, o camisa 7 são-paulino acertou o ângulo e abriu o placar.

O susto do Vasco durou pouco. Nove minutos depois, Madson, que já vinha dando trabalho ao adversário, arriscou de fora da área e contou com desvio de Miranda para enganar Rogério Ceni. Festa em São Januário e tristeza do São Paulo, temporariamente fora da liderança.

Afinal, pouco antes, o Grêmio havia feito 1 a 0 diante do Vitória, em Salvador. Com os resultados parciais, os gaúchos chegavam aos mesmos 69 pontos dos paulistas, mas levando vantagem no número de triunfos. "Independentemente do resultado do Grêmio, temos que fazer o nosso aqui e tentar a vitória", afirmou Rogério Ceni no intervalo, tentando manter o foco tricolor apenas em São Januário.

E em apenas cinco minutos o cenário mudou completamente. Aos 4min, no Rio, Hugo recolocou o São Paulo em vantagem após escanteio. Logo em seguida, em Salvador, o Vitória chegou ao empate com o Grêmio, permitindo ao time de Muricy Ramalho não só manter a ponta, como aumentar sua vantagem para os gaúchos.

Enquanto mantinha o triunfo em São Januário, o São Paulo ainda viu o Vitória fazer 4 a 2 sobre o Grêmio e sua diferença para os gaúchos subir. A festa no Rio, então, ficou completa, com direito a gritos de "é campeão" e olé dos visitantes. A torcida vascaína, por sua vez, não teve nada para comemorar, vendo a ameaça do rebaixamento ficar ainda maior. Wagner Diniz, Edmundo e Alex Teixeira ainda puderam empatar, mas erraram feio.
 
Fonte: Uol
Tags:
Imprimir