Cidadeverde.com
Viver Bem

Acompanhamento multidisciplinar combate a obesidade

Imprimir

É muito comum ouvir falar sobre dietas que possibilitam um emagrecimento rápido, quase mágico, e que se associadas a atividades físicas garantem um corpo escultural em poucos meses. No entanto, a busca por alimentação e práticas saudáveis deve ser motivada por mais qualidade de vida e saúde a longo prazo, indo além da estética. No dia 11 de outubro, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Obesidade, com o objetivo de levar para a população informações sobre os riscos da doença traz à população e formas de prevenção. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) alertam que nos últimos dez anos aumentou em 60% o número de brasileiros com algum grau de obesidade, com previsão de que até 2025, adultos obesos e com sobrepeso podem ultrapassar a marca de 700 milhões e 2,3 bilhões, respectivamente. 

Para a nutricionista Larissa Matos, a reeducação alimentar e um acompanhamento personalizado garantem um emagrecimento saudável e com resultados a longo prazo.  “Além das mudanças de hábitos alimentares, a combinação com prática de atividades físicas são a garantia de um bom resultado na perda de peso do paciente. Não existe mágica. Cada organismo é diferente e precisa de um programa de emagrecimento específico”, afirma a médica que também reforça a importância de um acompanhamento multidisciplinar. Médicos especializados em endocrinologia, psicologia, gastroenterologia, fisioterapia e nutrição  formam um suporte essencial para paciente que lutam contra a obesidade.

Nutricionista Larissa Matos

“É fundamental compreender a obesidade como uma doença em que as variáveis psicológicas desempenham um papel muito importante. “Compreender a obesidade como algo mais do que excesso de peso e abrir as portas para melhorar a qualidade de vida daqueles que têm este problema de saúde. As pessoas com este problema precisam ser motivadas a realizar uma terapia psicológica específica para a obesidade”, comenta a psicóloga Juliana Loureiro sobre a importância do profissional da saúde especializado em comportamentos, emoções e pensamentos para um emagrecimento saudável.

A psicóloga ainda explica que tratamento para a obesidade, não estará completo se não houver um acompanhamento psicológico dentro do programa. “Quando direcionamos o tratamento somente para o excesso de peso, a pessoa perde quilos, mas a raiz do problema continua lá: o papel emocional da comida e os maus hábitos alimentares. Se você não reeducar os seus hábitos alimentares e não aprender a lidar com as emoções, voltará para as antigas práticas com o passar do tempo, ou seja, seu relacionamento com a comida não mudou, você só perdeu peso”, afirma.

Imprimir