Cidadeverde.com
Política

Governador critica Bolsonaro sobre tratamento secundário a opositores

Imprimir

Fotos: Lyza Freitas

O governador Wellington Dias (PT) se manifestou na tarde desta terça-feira (16) sobre declarações do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) que, em entrevista ao jornalista Boris Casoy, da Rede TV!, disse que os governadores de oposição terão tratamento "secundário" em seu mandato, caso seja eleito no dia 28 de outubro. O petista disse que o candidato só demonstra ainda mais intolerância e anti-democracia ao dar declarações desse tipo.

"Acho que isso só mostra o quanto a população tem que pensar bem. Nós somos um país em que os governantes sempre mantiveram boas relações mesmo como aconteceu agora quando o assumiu o presidente Temer, mantemos uma boa relação. Então eu acho que a população vai compreender que essa forma discriminatória é mais uma forma de intolerância, então eu acho que é isso que o povo vai decidir dia 28. Então eu continuo acreditando que quem manda no processo eleitoral dia 28 é sua excelência, o povo, é ele que vai decidir o que é melhor para o Brasil", falou ao Cidadeverde.com.

Com pouca presença de público, Wellington Dias (PT) participou de uma caminhada em apoio ao candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno das eleições presidenciais. A caminhada aconteceu no bairro Mocambinho, zona Norte de Teresina. 

O governador declarou que vê com bastante preocupação a onda anti-petismo que se instalou no país e que lamenta a agressividade e violência que tem sido vista na disputa eleitoral, endossada também pelas fake news. Wellington Dias afirmou que tudo tem que ser encarado com muita paciência nesse momento pra que os ânimos não se acirram ainda mais. 

“Em primeiro lugar é tratar com muita paciência essa política do ódio e da intolerância. Eu realmente fico muito preocupado em ver que cresceu essa forma da agressividade e da violência, caminhando pra violência física e acho que somos um país pacífico, que tem uma relação humana muito melhor ao longo desses últimos ame por isso que eu defendo uma pessoa pacífica l, tranquila e com capacidade articuladora de bom relacionamento com todas as forças do país, como é o Fernando Haddad", declarou.

Flash Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir