Cidadeverde.com
Geral

Ator e dramaturgo piauiense Tarcísio Prado morre aos 79 anos

Imprimir

O ator e dramaturgo do teatro piauiense, Tarcísio Prado, morreu no início da manhã desta sexta-feira(19), aos 79 anos. Ele já estava internado há duas semanas em um hospital de Teresina. O velório acontece na Pax União e o enterro está previsto para este sábado pela manhã. 

Segundo o ator Francisco Pellé Vieira, Tarcísio sentia complicações de uma cirurgia que fez há alguns anos no intestino. "Ele já vinha adoentado, porque depois de uma cirurgia no intestino, ele não respondeu muito bem e teve algumas recaídas. Nesses últimos dias já estava internado novamente", destacou o ator sem ter mais detalhes do falecimento. 

Tarcísio Prado ficou conhecido por ser o protagonista do filme "Cipriano", do cineasta Douglas Machado. Ele faz parte da geração de dramaturgos piauienses que fundaram o Teatro de Estudantes. Seu grupo também lançou para o teatro piauiense o Grupo Harém de Teatro, um dos maiores do estado.

O ator e diretor fez parte da geração de dramaturgos piauienses que contou ainda com Gomes Campos e Santana e Silva, com quem fundou o grupo Teatro de Estudantes e Ana Maria Rego. Depois, criou o grupo Teste de onde surgiu o Grupo Harém. 

"Tarcísio é o pai do grupo Harém, que surgiu com o fim do grupo Teste, onde o Airton e o Arimatan Martins ainda trabalharam com ele e daí nós fundamos o Harém. Ele é o precursor do grupo e da cena piauiense. É um mestre, senador, provocador da cultura, do teatro e outras artes dos anos 1960 até 1980 quando militava ativamente. Foi um grande provocador e isso nos despertava a curiosidade e nos fazia ir atrás das coisas", declarou Francisco Pellé. 

Aci Campleo lamentou a morte do dramaturgo. "É bastante pesaroso porque para nós do teatro da geração de 1970 ele foi importante para, juntamente com Gomes Campos e Ana Maria Rego, fizeram uma transição no teatro para os novos tempos. Foi um referencial de uma geração para outra. Reconstruiu o teatro a partir dos anos de 1960. Militava na cultura, literatura, foi ator, diretor. Tem muitos atores que passaram pelas mãos dele que ainda hoje fazem teatro. É uma perda grande para o teatro do Piauí", destacou. 

Tarcísio Prado como diretor, comandou as peças "A Revolta dos Brinquedos" e "Reino do Mar Sem Fim", e criou a semana "Chico Pereira", em homenagem ao dramaturgo. Em 1980, dirigiu a peça "Princeso do Piauí", de Benjamim Santos. Do mesmo autor, dirigiu "Confissões de Georgete", de 2009.
 
Parnaibano, Tarcísio Prado é irmão do ex-deputado Elias Ximenes do Prado, esposo de Eveline de Melo Prado, ex-reitora da Uespi, e funcionário aposentado do Banco do Brasil.

 


Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com

Imprimir