Cidadeverde.com
Política

Discussão sobre orçamento 2019 gera polêmica na Câmara de Teresina

Imprimir

Fotos: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

 

A Câmara de Teresina deve votar a proposta do Orçamento 2019 até o dia 20 de dezembro. A matéria tem sido motivo de discussões entre oposição e a base governista.

A oposição acusa o prefeito de Teresina, Firmino Filho, de não atender todas as demandas, como a política pública para mulheres e juventude. Segundo Dudu ( PT), as duas secretarias serão de fachadas.

"Fico decepcionado e é triste. Não vou votar neste orçamento como forma de protesto. Não tem como Teresina ter maioria de mulheres e jovens e se discutir um orçamento que os excluem. Não tem como fazer política pública para mulher sem orçamento. Mas o prefeito destina apenas R$ 3 milhões. Então essa secretaria é uma farsa. Não existe política pública para mulheres. Até a reserva de contingência tem orçamento maior, que é  de 5 milhões", disse Dudu. 

Dudu direcionou as críticas ao também vereador De Filho, que é o secretário de Juventude.

"A mesma coisa com a juventude. O vereador De Filho assumiu a pasta e vice se humilhando em busca de emendas. A secretaria de Juventude é só para cabide político. O orçamento para a pasta também é pouco mais de 3 milhões. É vergonhoso", disse.

Dudu afirma que a Guarda Municipal não está atendida com o orçamento. "Não teve aumento. Hoje o guarda municipal ganha menos que um salário mínimo. Quando fala que eles ganham R$ 1.200, se coloca as gratificações. Mas ninguém se aposenta com gratificações", disse.

A Líder do prefeito na Casa, Vereadora Graça Amorim, afirma que apesar das dificuldades as políticas públicas são realizadas. Graça ainda critica o governo do Estado.

"Essa crítica da oposição é velha. Desde o ano passado eles falam isso e as políticas públicas são feitas. Pior é o governo do Estado que não vemos nada sobre políticas públicas. O prefeito Firmino faz um orçamento com responsabilidade", rebateu Amorim. 

Lídia Brito
redacao@cidadeverde.com

Imprimir