Cidadeverde.com
Política

Secretário de Administração admite que governo busca alternativas para pagar 13º

Imprimir

A pouco mais de uma semana para o início do pagamento do 13º salário servidores públicos estaduais, o governo do estado ainda não tem recursos assegurados. Em entrevista ao Notícia da Manhã, o secretário de Administração e Previdência, Ricardo Pontes, declarou que o Piauí está em "uma situação iminente de um abismo" devido ao déficit da previdência. Por outro lado, o gestor destacou o esforço que está sendo para fechar as contas e honrar também o pagamento da folha do mês de dezembro

"Estamos buscando alternativas para melhorar a arrecadação própria, melhorar a arrecadação do ICMS e segurar todos os recursos que entram em caixa para que possamos concluir a folha de novembro, iniciar o pagamento do 13º e no final de dezembro iniciar a outra folha que é a de dezembro. A nossa receita é 50% de recursos próprios e 50% do Fundo de Participação que tem caído no Brasil inteiro e descobrimos que ainda estavam repassando menos do que era correto. O déficit previdenciário também tem aumentado bastante. R$ 73 milhões nós repassamos agora só para cobrir o déficit previdenciário", elencou o secretário. 

Para fechar as contas do estado, Ricardo Pontes aposta em medidas alternativas e na modernização do estado para diminuir custos e dar maior agilidade.

"Estamos buscando recursos que temos direito como o da federalização da Cepisa e também vendo com o STF para reaver recursos do Fundo de Participação que foram retidos pelo Governo Federal. Fizemos várias contas e percebemos que o Governo Federal estava repassando um valor menor", completou Pontes. 

O secretário de Administração e Previdência também demonstrou preocupação com o déficit previdenciário e destacou que há a necessidade de um pacto nacional para superar o problema. 

"É imperativo que a gente tenha uma solução discutida com todo mundo, tem que ser feito um pacto nacional. Várias alternativas que o estado podia fazer, nós fizemos, inclusive a frente de outros estados. Muitos estão em uma situação muito pior que a nossa, como é o caso do Rio Grande do Norte, ou estão em uma situação iminente de um abismo como é o caso do Piauí e de vários outros estados. Há a necessidade de um pacto nacional para discutir alternativas para superar o déficit da previdência", finaliza Ricardo Pontes. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir